Os jovens desempenham um papel essencial na criação de demanda, nas relações com o cuidado e na utilização de serviços para o HIV e serviços de saúde e direitos sexuais e reprodutivos. A conclusão é de um estudo realizado pela empresa britânica de interesse comunitário e caritativo Watipa e encomendado pelo UNAIDS e pelo, Leia Mais

As mulheres vivem mais do que os homens no mundo, principalmente em países ricos. O relatório anual World Health Statistics 2019 – desagregado por sexo pela primeira vez – explica por quê. “Dividir os dados por idade, sexo e grupo de renda é vital para entender quem está sendo deixado para trás e por, Leia Mais

O estigma e a discriminação em unidades de saúde são um grande obstáculo para acabar com a AIDS. Difundido por todo o mundo, o estigma e a discriminação reduzem significativamente a qualidade de vida das pessoas que os vivenciam e dificultam o seu acesso a serviços de saúde e de HIV.

O estigma, a discriminação e outras violações dos direitos humanos acontecem em serviços de saúde em todo o mundo, impedindo as pessoas de acessarem os serviços ou usufruírem de cuidados de saúde de qualidade. O estigma e a discriminação aumentam a vulnerabilidade das pessoas vivendo com HIV e daquelas afetadas pelo vírus.

O México vem tomando medidas para fortalecer o acesso aos serviços de saúde por pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexuais (LGBTI+). Um novo código de conduta do Ministério da Saúde do México visa pôr fim ao estigma e à discriminação com base na identidade de gênero e orientação sexual em todos os serviços, Leia Mais

No dia 30 de junho, 12 organismos das Nações Unidas divulgaram uma declaração conjunta sem precedentes fazendo um chamado para a eliminação da discriminação nos serviços de saúde e se comprometendo a trabalhar em conjunto para apoiar os Estados-membros a oferecerem serviços de saúde livres de estigma e discriminação. A declaração é uma poderosa, Leia Mais