Diretoria Executiva e Regional

Diretoria Executiva

Gunilla Carlsson, Diretora Executiva Interina do UNAIDS

Gunilla Carlsson começou a trabalhar no UNAIDS em fevereiro de 2018 como vice-diretora executiva para Gestão e Governança e secretária-geral assistente das Nações Unidas. Ela lidera o trabalho do UNAIDS na promoção da governança eficaz do Programa Conjunto e fornece orientação estratégica para as funções de gestão globais – nas áreas de recursos humanos, finanças, orçamento, tecnologia da informação e administração – para melhorar a capacidade do UNAIDS de implementar o seu mandato e visão.

Antes de assumir suas funções atuais no UNAIDS, Carlsson foi deputada do Parlamento da Suécia de 2002 a 2013 e Ministra de Cooperação Internacional e Desenvolvimento da Suécia de 2006 a 2013. Ela também atuou como membro-eleito do Parlamento Europeu de 1995 a 2002. Carlsson foi Presidente da Comissão de Mudança Climática e Desenvolvimento, iniciada pela Suécia em 2007. Ela foi nomeada pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, para o Painel de Alto Nível sobre Sustentabilidade Global, anterior à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que aconteceu no Rio de Janeiro em 2012 e atuou no Painel de Alto Nível sobre a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015.

Líder em saúde e desenvolvimento global, Carlsson foi parte da Comissão UNAIDS e Lancet: Derrotando a AIDS—Avançando a saúde global e do Conselho Consultivo de Gênero do Banco Mundial sobre o empoderamento econômico das mulheres. Ela também atuou no Painel de Alto Nível sobre Estados Frágeis do Banco Africano de Desenvolvimento em 2013 e 2014, assessorando estratégias relacionadas ao Nordeste Africano. Carlsson atua no conselho de administração da Aliança Global para Vacinas e Imunização (GAVI), como Vice-Presidente desde junho de 2017.

Carlsson trabalhou no desenvolvimento de políticas sobre política externa, direitos humanos, trabalho, pesquisa, segurança e defesa. Além disso, ela tem uma vasta experiência no desenvolvimento e implementação de reformas de políticas e de eficiência e na prestação de contas em organizações complexas, incluindo o setor privado.

Carlsson nasceu, cresceu e estudou na Suécia.

Saiba mais sobre o UNAIDS aqui.

Shannon Hader, Vice-Diretora Executiva do UNAIDS para Programa

Shannon Hader começou a trabalhar no UNAIDS em março de 2019 como vice-diretora executiva para Programa e secretária-geral assistente das Nações Unidas. Ela lidera os esforços do UNAIDS na promoção de uma resposta integrada e ampliada do sistema das Nações Unidas ao HIV nos níveis nacional, regional e global, fornecendo orientação estratégica, advocacy, coordenação e suporte técnico necessários para catalisar e conectar lideranças de governos e comunidades para entregar serviços de HIV capazes de salvar vidas.

Médica de saúde pública, sua carreira abrange os espectros de pesquisa, programas e políticas. Dra. Hader é formada em ciências biológicas pela Universidade de Stanford e médica e mestre em saúde pública pela Universidade de Columbia. Ela é certificada em Medicina Interna, Pediatria e Doenças Infecciosas.

Em 2014, Dra. Hader foi nomeada Diretora da Divisão de HIV e Tuberculose Global dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), fornecendo liderança técnica, financiamento, avaliação e apoio a programas para ajudar a alcançar uma geração livre da AIDS em todo o mundo.

Antes dessa posição, Dra. Hader atuou como Vice-presidente e Diretora do Centro de Sistemas e Soluções de Saúde do Grupo Futures (agora Pallidum). Ela também ocupou o cargo de Diretora Adjunta Sênior de Administração em HIV/AIDS, Hepatite, DST e TB, no Distrito de Columbia, nos Estados Unidos, entre 2007 e 2010. Também atuou como Diretora do CDC-Zimbábue de 2003 a 2006.

Dra. Hader traz para o UNAIDS mais de 20 anos de experiência internacional em saúde global, desde a resposta ao HIV e outras infecções até o fortalecimento dos sistemas de saúde. Ela atuou em importantes funções de liderança em saúde, enfatizando responsabilização, escala e impacto para respostas sustentáveis.

Saiba mais sobre o UNAIDS aqui.

Diretoria Regional

Foto: UNAIDS

César Antonio Núñez, Diretor do Escritório Regional para América Latina do UNAIDS

Dr. Núñez possui mais de vinte anos de experiência em gestão de programas de HIV e saúde pública internacional, com um vasto conhecimento das tendências epidemiológicas regionais do HIV e da resposta à AIDS na América Latina e Caribe.

Das suas funções como Diretor Regional do UNAIDS, Dr. Núñez promove o apoio dos líderes latino-americanos para a resposta à AIDS, com a participação de chefes de Estado, governos e ministros; também influencia o desenvolvimento de estratégias para a promoção regional sobre temas essenciais (como por exemplo, HIV e o uso de drogas injetáveis; sua prevenção; o acesso à informação; as mulheres/meninas e a AIDS; as profissionais do sexo; os homens que fazem sexo com homens; a comunidade trans; os imigrantes e outros); coordena contatos e conexões com organizações intergovernamentais (UNASUL[1], CELA[2], SICA[3]; MERCOSUL[4], ORAS[5], organizações e redes da sociedade civil e os doadores); e convoca reuniões regulares de parceiros continentais, permitindo assim o monitoramento da epidemia, os intercâmbios de informação e discussões substanciais que envolvem invariavelmente a proteção social e as políticas públicas.

Um elemento central de seu trabalho com os governos da América Latina é o acompanhamento dos compromissos propostos na Declaração Política de 2011, aprovada pelos Estados Membros na Assembleia Geral das Nações Unidas; e mais recentemente, a contribuição da região para desenvolver a agenda pós-2015.

Com uma especialização em Saúde Pública Internacional (MPH) da Universidade de Washington em Seattle, o Dr. Núñez foi Diretor do Programa Nacional de AIDS no Ministério da Saúde de Honduras e Diretor de Políticas do Programa Regional do USAID para fortalecer a resposta Centro-americana ao HIV (PASCA). Suas contribuições durante o início da epidemia foram determinantes para o fortalecimento da resposta ao HIV, particularmente quando a terapia antirretroviral ainda não estava disponível.

[1]  União de Nações Sul-Americanas.

[2] Centro de Estudios Latinoamericanos.

[3] Sistema de la Integración Centroamericana.

[4] Mercado Comum do Sul.

[5] Organismo Andino de Salud.

Saiba mais sobre as ações do Escritório Regional para América Latina do UNAIDS aqui.