No Dia Mundial de Combate à Tuberculose, 24 de março, o UNAIDS encoraja os países a  fazerem muito mais para reduzir o número de mortes por tuberculose (TB) entre pessoas vivendo com HIV. A TB é a causa mais comum de hospitalização e morte entre pessoas HIV positivas. Em 2015, 1,1 milhão de pessoas, Leia Mais

O tratamento do HIV tem desempenhado um papel importante na prevenção ao vírus. Evidências divulgadas recentemente mostram que as novas infecções por HIV nos Estados Unidos caíram 18% entre 2008 e 2014. Contudo, nem todos os grupos se beneficiaram igualmente.

Para alcançar as metas de Aceleração da Resposta e acabar com a epidemia de AIDS até 2030, novas infecções pelo HIV entre  crianças devem ser eliminadas. O vírus pode ser transmitido de mãe para filho durante a gravidez, parto e amamentação, mas com a terapia antirretroviral, as taxas de transmissão de mãe para filho, Leia Mais

As organizações religiosas têm desempenhado um papel fundamental na resposta ao HIV desde o início da epidemia há mais de 35 anos. Muitas instituições religiosas vêm  realizando serviços eficazes e de alta qualidade no combate ao HIV, complementando os programas de saúde pública nacionais nos países mais afetados pelo vírus. A posição de confiança, Leia Mais

Às vésperas do Dia Mundial de Luta contra a AIDS, o UNAIDS lançou um novo relatório que mostra que os países estão adotando a Aceleração da Resposta para acabar com a AIDS até 2030, como parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Ao se adaptar a um ambiente global em constantes mudanças e ao maximizar, Leia Mais

O UNAIDS saúda os novos e ambiciosos objetivos fixados pelo Plano de Emergência para o Combate à AIDS do Presidente dos Estados Unidos (PEPFAR).

O UNAIDS parabeniza os líderes mundiais pela adoção dos novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, que estabelecem o quadro para a política de desenvolvimento global nos próximos 15 anos.

A prefeita de Santiago, no Chile, Carolina Tohá Morales, comprometeu-se em acelerar a resposta à epidemia de HIV na capital chilena nos próximos cinco anos. Ao assinar a Declaração de Paris, a cidade de Santiago demonstra o compromisso em implementar a Estratégia de Aceleração da Resposta para o fim do HIV nas cidades.

 Os países mais afetados pelo HIV devem se concentrar em impedir novas infecções pelo HIV e em expandir o acesso ao tratamento antirretroviral, ou correrão o risco de ver uma retomada da epidemia,

“Pessoas subnutridas vivendo com o HIV têm duas a seis vezes mais chances de morrer nos primeiros seis meses de tratamento, e a fome é uma das barreiras à adesão no longo prazo.”