Em 2016, mais de 11 milhões de pessoas nos Estados Unidos fizeram uso abusivo de opióides receitados e quase um milhão usaram heroína, de acordo com o Governo dos Estados Unidos. Embora milhões de pessoas no país sejam dependentes de opióides, apenas 1 em cada 10 recebe tratamento.

As pessoas que usam drogas injetáveis costumam ter um ou mais problemas de saúde associados. O uso de drogas e problemas de saúde mental frequentemente coexistem e o uso de drogas pode aumentar o risco de contrair infecções. Entre as pessoas que usam drogas injetáveis, por exemplo, o risco de infecção por HIV é, Leia Mais

Senhora Presidente, Excelências, parceiros da sociedade civil e colegas, agradeço por esta oportunidade de dirigir-me à 61ª Sessão da Comissão de Drogas e Narcóticos (CND, na sigla em inglês).

Como parte dos esforços para frear o surgimento de novas infecções por HIV entre pessoas que usam drogas injetáveis, o UNAIDS levou uma mensagem urgente à Comissão de Drogas e Narcóticos, que se reuniu em Viena, na Áustria, em meados de março, para sua sexagésima sessão. Em declaração à comissão, o UNAIDS fez uma, Leia Mais

Para acabar com a epidemia de AIDS até 2030, a resposta global ao HIV não deve deixar ninguém para trás, incluindo pessoas que usam drogas injetáveis. Essa estratégia exige políticas para drogas e serviços de prevenção, tratamento, cuidados e apoio relacionados com o HIV que atendam tanto aos direitos humanos quanto às necessidades de, Leia Mais

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) lançou no último dia 26 de junho seu Relatório Mundial sobre Drogas de 2016, que mostra que o número de pessoas descritas como “dependente de drogas” em todo o mundo aumentou de 27 milhões (2013) para 29 milhões (2014). Cerca de 250 milhões de, Leia Mais

O UNAIDS dá boas-vindas ao apelo feito pela Assembleia Geral das Nações Unidas aos Estados-Membros para que considerem medidas de saúde pública eficazes que melhorem os resultados para as pessoas que usam drogas e para que implementem programas capazes de reduzir o impacto dos danos associados ao uso de drogas.

Um novo relatório do UNAIDS  – lançado dia 15/4 – mostra que a cobertura atual dos programas de redução de danos é insuficiente e que as políticas que criminalizam e marginalizam pessoas que usam drogas injetáveis falham na redução das novas infecções por HIV.