Coalizão sobre Redução de Danos pede visão mais ampla para redução de danos e uso de drogas injetáveis

Em 2016, mais de 11 milhões de pessoas nos Estados Unidos fizeram uso abusivo de opióides receitados e quase um milhão usaram heroína, de acordo com o Governo dos Estados Unidos. Embora milhões de pessoas no país sejam dependentes de opióides, apenas 1 em cada 10 recebe tratamento.

Em 2017, pelo menos 64 mil pessoas morreram por causas relacionadas à overdose de drogas nos Estados Unidos. O uso indevido de opióides, assim como o vício—incluindo analgésicos prescritos, heroína e opióides sintéticos, como o fentanil—constitui uma grave crise nacional que afeta a saúde pública e o bem-estar social e econômico, com consequências prejudiciais.

É nesse cenário que a Coalizão sobre Redução de Danos (Harm Reduction Coalition)—uma organização norte-americana de ativismo e capacitação que trabalha para promover a saúde e a dignidade de pessoas e comunidades afetadas pelo uso de drogas—realizou a 12ª Conferência Nacional sobre Redução de Danos (página oficial em inglês), em Nova Orleans, de 18 a 21 de outubro.

Na conferência, a Coalizão sobre Redução de Danos pediu a criação de espaços de diálogo e ação para curar os danos causados ​​por políticas racializadas de combate às drogas. Além disso, anunciou que irá agir além das atividades básicas tradicionais de treinamento, capacitação e políticas públicas.

Os participantes ouviram a demanda por uma visão de redução de danos mais ampla, que vai além da prevenção e redução de riscos, e pede por estratégias para abordar trauma, divisão social, injustiças e desigualdades.

“Não podemos acabar com a AIDS no mundo se não acabarmos a AIDS entre pessoas que usam drogas injetáveis. O UNAIDS está comprometido com a redução de danos. Redução de danos funciona. Redução de danos é capaz de salvar vidas,” disse Ninan Varughese, Assessor Sênior do UNAIDS.

Em preparação para o segmento ministerial da 62ª Sessão da Comissão de Drogas Narcóticas, que será realizada em março de 2019, a Organização das Nações Unidas está discutindo a questão mundial das drogas no mais alto nível. O Secretário-Geral das Nações Unidas discutirá a questão em suas reuniões bianuais com os chefes dos organismos das Nações Unidas e espera chegar a uma posição comum que ressalte o forte compromisso da ONU com o fortalecimento da implementação do documento final da Sessão Especial da Assembleia Geral da ONU de 2016 sobre o Problema Mundial da Droga, por meio da colaboração interinstitucional.

Leia também: