O UNAIDS e a LGBT Foundation lançaram uma pesquisa online para avaliar felicidade, sexo e qualidade de vida das pessoas LGBTI. A pesquisa, a primeira desse tipo, faz parte de uma campanha para obter mais informações e insights sobre os desafios enfrentados pelas pessoas LGBTI. Os dados colhidos ajudarão a evidenciar as preocupações e, Leia Mais

Performances e narrativas culturais utilizadas como ferramentas contra o ódio e o preconceito: este é o foco do Festival Bixanagô, um encontro de música, política e artes que promove a diversidade, a criatividade e a potência da comunidade negra, periférica e LGBT+, que aconteceu em São Paulo, entre os dias 21 e 23 de, Leia Mais

O UNAIDS saúda a decisão da Suprema Corte da Índia de anular as principais disposições do artigo 377 do Código Penal indiano. O artigo criminalizava as relações sexuais entre pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersex (LGBTI).

UNAIDS Brasil se une às vozes da diversidade para celebrar a saúde e o bem-estar das mulheres lésbicas neste dia 29 de agosto, Dia Nacional da Visibilidade Lésbica. O estigma e a discriminação—e até mesmo a violência sexual—vividos por essas mulheres em decorrência de sua orientação sexual dificultam o acesso a serviços de saúde, Leia Mais

As opiniões de jovens gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e intersexo serão coletadas por meio de uma consulta online conduzida pela organização MAG Jeunes LGBT, com apoio de uma campanha nas redes sociais liderada pela UNESCO. 

Um dos eventos mais assistidos do ano fez Cynthia Weber perguntar: será que o uso da inteligência artificial (IA) pela Sky News no casamento do Príncipe Harry e Meghan Markle é uma coisa boa?

A Fundação Martin Ennals anunciou os nomes dos três finalistas para o prestigiado Prêmio Martin Ennals para defensores dos direitos humanos, que será concedido em outubro de 2017. Uma das três finalistas é Karla Avelar, uma mulher transexual vivendo com HIV de El Salvador que, há mais de 20 anos, tem defendido os direitos, Leia Mais

O tema do Dia Mundial de Zero Discriminação deste ano é “fazer barulho”. Elevar nossas vozes em solidariedade pela compaixão, diversidade, igualdade, inclusão e tolerância é o núcleo de nossa humanidade compartilhada. Hoje, renovamos o nosso compromisso de alcançar um mundo livre de estigma e discriminação, no qual ninguém seja deixado para trás.

Em uma iniciativa conjunta sem precedentes, 12 agências da ONU emitiram, nesta terça-feria (29), um apelo conjunto para acabar com a violência e discriminação contra adultos, adolescentes e crianças lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais (LGBTI).