O UNAIDS e a LGBTI+ Foundation lançaram uma pesquisa online para avaliar felicidade, sexo e qualidade de vida das pessoas LGBTI+. A pesquisa, a primeira desse tipo, faz parte de uma campanha para obter mais informações e insights sobre os desafios enfrentados pelas pessoas LGBTI+. Os dados colhidos ajudarão a evidenciar as preocupações e, Leia Mais

Performances e narrativas culturais utilizadas como ferramentas contra o ódio e o preconceito: este é o foco do Festival Bixanagô, um encontro de música, política e artes que promove a diversidade, a criatividade e a potência da comunidade negra, periférica e LGBT+, que aconteceu em São Paulo, entre os dias 21 e 23 de, Leia Mais

O UNAIDS saúda a decisão da Suprema Corte da Índia de anular as principais disposições do artigo 377 do Código Penal indiano. O artigo criminalizava as relações sexuais entre pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersex (LGBTI+).

UNAIDS Brasil se une às vozes da diversidade para celebrar a saúde e o bem-estar das mulheres lésbicas neste dia 29 de agosto, Dia Nacional da Visibilidade Lésbica. O estigma e a discriminação—e até mesmo a violência sexual—vividos por essas mulheres em decorrência de sua orientação sexual dificultam o acesso a serviços de saúde, Leia Mais

As opiniões de jovens gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e intersexo serão coletadas por meio de uma consulta online conduzida pela organização MAG Jeunes LGBTI+, com apoio de uma campanha nas redes sociais liderada pela UNESCO.

Um dos eventos mais assistidos do ano fez Cynthia Weber perguntar: será que o uso da inteligência artificial (IA) pela Sky News no casamento do Príncipe Harry e Meghan Markle é uma coisa boa?

A Fundação Martin Ennals anunciou os nomes dos três finalistas para o prestigiado Prêmio Martin Ennals para defensores dos direitos humanos, que será concedido em outubro de 2017. Uma das três finalistas é Karla Avelar, uma mulher transexual vivendo com HIV de El Salvador que, há mais de 20 anos, tem defendido os direitos, Leia Mais

O tema do Dia Mundial de Zero Discriminação deste ano é “fazer barulho”. Elevar nossas vozes em solidariedade pela compaixão, diversidade, igualdade, inclusão e tolerância é o núcleo de nossa humanidade compartilhada. Hoje, renovamos o nosso compromisso de alcançar um mundo livre de estigma e discriminação, no qual ninguém seja deixado para trás.

Em uma iniciativa conjunta sem precedentes, 12 agências da ONU emitiram, nesta terça-feria (29), um apelo conjunto para acabar com a violência e discriminação contra adultos, adolescentes e crianças lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais (LGBTI+).