Mulheres jovens são mais afetadas pelo HIV do que homens jovens na África Ocidental e Central

Na África Ocidental e Central, dados de pesquisas sugerem que a prevalência do HIV entre mulheres de 20 a 29 anos é maior do que entre homens da mesma idade em todos os países, e pode chegar a ser entre cinco e nove vezes maior em alguns países, incluindo a Costa do Marfim, Gâmbia e Gana. No entanto, no quando atigem entre 40-49 anos de idade, os homens têm prevalência semelhante de HIV; as exceções são República Democrática do Congo, Gana e Gabão, onde a prevalência do HIV entre as mulheres ainda é quase duas vezes maior na mesma faixa etária.

A diferença na prevalência do HIV entre homens e mulheres na faixa etária de 20 a 29 anos na África Ocidental e Central é maior do que a observada nos países do leste, e em alguns países do sul da África. As possíveis razões para essa diferença incluem as altas taxas de circuncisão masculina médica voluntária na África Ocidental e Central, que têm alcançado um índice de proteção de 60% na prevenção da transmissão do HIV entre homens e mulheres. Outras possíveis razões para a diferença na África Ocidental e Central podem ser o baixo índice do uso de preservativos e a baixa adesão à terapia antirretroviral entre homens na região.