Compromissos ousados são assumidos na Reunião de Alto Nível da ONU sobre o Fim da AIDS

Os Estados-Membros das Nações Unidas se comprometeram a implementar uma agenda ousada para acabar com a epidemia de AIDS em 2030, durante a Reunião de Alto Nível da Assembléia Geral das Nações Unidas sobre o Fim da AIDS, realizada em Nova York (EUA), de 8 a 10 de junho.

A nova Declaração Política, classificada como progressista e implementável, inclui um conjunto de metas e ações específicas, com prazo definido, que devem ser alcançadas até 2020 se o mundo se comprometer com a Aceleração da Resposta e acabar com a epidemia de AIDS até 2030 no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

A Reunião de Alto Nível sobre o Fim da AIDS foi convocada pelo Presidente da Assembleia Geral e co-facilitada por Suíça e Zâmbia. Na abertura, o Presidente da Assembleia Geral, Mogens Lykketoft, incitou os Estados-Membros a se comprometerem com a ação.

160608_0232

Presidente da Assembleia Geral, Mogens Lykketoft, em discurso na Reunião de Alto Nível sobre o Fim da AIDS. Foto: UNAIDS

“A partir de agora, todas as partes interessadas devem assumir as suas responsabilidades. Hoje é o dia que nós, coletivamente, dizemos que vamos acabar com a epidemia de AIDS até 2030” disse Lykketoft em seu discurso de abertura. “Temos de prestar mais atenção à igualdade e à inclusão, defender os direitos humanos e falar contra o estigma e a discriminação.”

Durante a plenária de abertura, o Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, lembrou como a resposta à AIDS tem sido uma “fonte de inovação e inspiração”, e o Diretor Executivo do UNAIDS, Michel Sidibé, delineou os progressos realizados nos últimos anos, destacando que 17 milhões pessoas têm acesso atualmente ao tratamento antirretroviral e que o mundo tem registrado quedas significativas tanto no número de mortes relacionadas à AIDS quanto no de infecções por HIV em crianças.

“Pela primeira vez na história, podemos dizer que, na África, há mais pessoas iniciando o tratamento do HIV do que novas infecções pelo vírus”, disse o Sidibé. Ele também destacou a importância da inclusão, dizendo que

“As portas do Organização das Nações Unidas devem ser aberta a todos. “

Entre muitos dos representantes da sociedade civil que participaram e falaram na reunião, Loyce Maturu, uma jovem que vive com o HIV do Zimbabwe, compartilhou, durante a plenária de abertura,  sua história inspiradora a sobre como foi crescer vivendo com HIV. “Quero que as pessoas jovens que vivem com HIV sejam capazes de realizar os seus sonhos e esperanças para o futuro”, disse ela.

Ndaba Mandela, neto de Nelson Mandela, falou apaixonadamente sobre a experiência de sua própria família com o HIV e incitou todos os presentes a se unirem para acabar com a AIDS em 2030. “Eu estou aqui para pedir-lhes que continuem o legado do meu avô, Nelson Mandela: um legado de unidade e de liderança.”

Além das sessões plenárias em torno de 600 participantes, incluindo 10 chefes de Estado e de Governo e mais de 60 ministros, pessoas que vivem com HIV, representantes da sociedade civil, representantes de organizações internacionais e do setor privado, cientistas e pesquisadores participaram de cinco painéis oficiais e mais de 30 eventos paralelos para traduzir a nova Declaração Política 2016 sobre o Fim da AIDS em ações e resultados.

Os cinco painéis oficiais abordaram os seguintes temas:

  • Painel 1:  A AIDS no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: aproveitando o fim da AIDS para a transformação social e desenvolvimento sustentável
  • Painel 2: Financiamento e apoio para o fim da AIDS: a janela de oportunidade
  • Painel 3: Superar a iminente crise de tratamento: uma agenda de ação para chegar aos 90-90-90
  • Painel 4: Não deixar ninguém para trás: fim do estigma e da discriminação através da justiça social e sociedades inclusivas
  • Painel 5:  Crianças, meninas adolescentes e mulheres jovens: prevenção de novas infecções pelo HIV

Os participantes pediram por acesso a serviços abrangentes de educação sexual e de redução de danos, bem como pelo fortalecimento de atividades para as mulheres jovens, garotas adolescentes e populações-chave, incluindo homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo, usuários de drogas injetáveis, pessoas trans e pessoas privadas de liberdade, assim como migrantes.

Durante a Reunião de Alto Nível sobre o Fim da AIDS, anúncios importantes foram feitos em apoio ao fim da epidemia até 2030.

Os Estados Unidos anunciaram  o  lançamento de um novo fundo de 100 milhões de dólares (Fundo de Investimento em Populações-Chave) para aumentar o acesso aos serviços de HIV entre profissionais do sexo, homens gays e outros homens que fazem sexo com homens, usuários de drogas injetáveis, pessoas trans e pessoas privadas de liberdade. O novo fundo vai se concentrar na redução do estigma e da discriminação, na capacitação de liderança comunitária para concepção e prestação de serviços e, também, na melhora de qualidade dos dados sobre as populações-chave.

Yusuf K. Hamied, presidente da empresa farmacêutica indiana Cipla, anunciou um pacote de ajuda aos países africanos para facilitar a produção local de medicamentos na África.

O UNAIDS e o Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para o Combate à AIDS (PEPFAR) divulgaram um relatório final sobre os progressos realizados desde o lançamento do Plano Global para a eliminação de novas infecções pelo HIV entre crianças até 2015, mantendo suas mães vivas, durante a última  Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unida sobre o HIV e AIDS, em 2011.

UN General Assembly Plenary: The roadmap to ending AIDS; held at UNHQ, New York, on June 8, 2016.

Michel Sidibé comemora fato que hoje na África há mais pessoas iniciando o tratamento do HIV do que novas infecções por HIV. Foto: UNAIDS

Houve uma queda de 60% em novas infecções pelo HIV entre as crianças desde 2009 nos 21 países da África Sub-Saariana que foram mais afetados pela epidemia. Para somar ao enorme progresso feito em parar as novas infecções pelo HIV entre as crianças, UNAIDS, PEPFAR e parceiros lançaram um marco para acabar com a AIDS entre crianças, adolescentes e mulheres — Comece livre, Fique Livre, Livre da AIDS.

A iniciativa define objetivos ambiciosos para eliminar novas infecções entre crianças, garantir o acesso ao tratamento a todas as crianças vivendo com HIV e prevenir novas infecções pelo vírus entre adolescentes e mulheres jovens, a fim de colocar o mundo em no caminho para acabar com a epidemia de AIDS entre estas populações.

Também durante a Reunião de Alto Nível, Armênia, Bielorrússia e Tailândia se juntaram à Cuba ao receber certificados oficiais de validação da Organização Mundial da Saúde pela eliminação de novas infecções por HIV entre as crianças. A Tailândia é o primeiro país com uma grande epidemia de HIV (450 000 pessoas vivendo com HIV em 2014) a receber essa validação.

Foram realizados igualmente eventos dentro de uma agenda mais ampla de saúde, incluindo o debate sobre lições aprendidas da resposta a epidemias emergentes, como AIDS, ebola e zika, a capacitação de meninas adolescentes e mulheres jovens para o acesso a serviços de cuidados de saúde integrados – esse último liderado pela Organização das Primeiras Damas Africanas contra o HIV/AIDS (Organisation of African First Ladies against HIV/AIDS).

Durante a semana do encontro, vários eventos de apoio aconteceram em toda Nova York. O prefeito de Nova York, Bill De Blasio, e a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, reuniram cerca de 30 prefeitos na Biblioteca Pública de Nova York para discutir como eles estão acelerando a resposta para acabar com a AIDS nas cidades. Eles também compartilharam como as cidades inteligentes estão implementando inovações urbanas para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Em parceria com a agência de notícias Xinhua, um painel luminoso mostrando as ações do UNAIDS na Aceleração da Resposta para acabar com a AIDS ganhou destaque na icônica Times Square. Houve também um serviço inter-religioso e uma série de eventos que incidiram sobre a importância da participação das mulheres em cargos de liderança na resposta à AIDS.

Na véspera da Reunião de Alto Nível sobre o Fim da AIDS, o designer de moda e presidente do conselho amfAR, Kenneth Cole, foi nomeado Embaixador Internacional da Boa Vontade do UNAIDS. A Embaixadora Internacional  do UNAIDS, Annie Lennox, também participou de diversos eventos ao longo da semana.

Leia também: