Mensagem do Dia Mundial contra a AIDS 2019 do diretor regional do UNAIDS para a América Latina e o Caribe, César Núñez

Em todo o mundo, as organizações dirigidas por pessoas vivendo com HIV ou afetadas pelo vírus defendem os direitos humanos e oferecem serviços de prevenção, tratamento, cuidados e apoio ao HIV a seus pares. Essas organizações comunitárias ajudaram a garantir que mais de 23 milhões de pessoas tivessem acesso ao tratamento para o HIV em 2018.

As comunidades fazem a diferença e desempenham um papel fundamental na resposta à epidemia de AIDS nos níveis local, nacional e internacional.

Essas comunidades incluem educadores de pares, pessoas que vivem com HIV ou que são afetadas pelo vírus, pessoas LGBT, pessoas que usam drogas, profissionais do sexo, jovens, promotores e promotoras de saúde e ativistas populares, entre outros.

Este Dia Mundial contra a AIDS oferece uma plataforma importante para destacar o papel das comunidades em um momento em que a redução de financiamento e o espaço dedicado à sociedade civil comprometem a sustentabilidade de seus serviços com populações vulneráveis.

Hoje, a forte defesa liderada pelas comunidades é, mais do que nunca, necessária para garantir que a AIDS continue presente na agenda política, que os direitos humanos sejam respeitados e que as pessoas que tomam as decisões e as colocam em prática assumam suas responsabilidades.

Em uma sociedade onde são crescentes as desigualdades, a fragilidade e a discriminação, a liderança comunitária garante que a resposta ao HIV permaneça relevante, que as pessoas permaneçam no centro e que nenhuma delas seja deixada para trás.

César Núñez
Diretor regional do UNAIDS para a América Latina e o Caribe