Progredindo com a liderança da juventude positiva

Os jovens são fundamentais para atingir os objetivos da Declaração de Política de 2016 da ONU sobre o Fim da AIDS. Enquanto os jovens que vivem com o HIV estão desempenhando um papel ativo na resposta à AIDS, fornecendo informações, cuidados e apoio aos seus pares, suas redes precisam de mais suporte e recursos.

Para avançar os esforços de engajar os jovens que vivem com HIV na tomada de decisões sobre questões que afetam suas vidas, 40 jovens vindos de 19 países e que representam redes de jovens vivendo com HIV se encontraram na Cidade do Cabo, África do Sul, nos dias 19 e 20 de junho. A Conferência Intergeracional para Positiva da Juventude foi realizada com o apoio do UNAIDS, da Coalizão de Tratamento de Adolescentes e parceiros.

Os objetivos do encontro foram analisar as capacidades das redes de jovens vivendo com HIV, identificar barreiras e oportunidades de participação e facilitar o diálogo sobre como os jovens vivendo com HIV e suas redes podem ser fortalecidos.

Entre os participantes da reunião estava Yana Panfilova, uma jovem líder da Teenergizer!, a União Ucraniana e Eurasiática das Organizações de Adolescentes e Jovens. Ela afirmou que “as interrupções e a falta de motivação para a terapia antirretroviral, a discriminação e o auto-estigma, a falta de educação de qualidade para a prevenção e e as barreiras para acessar o teste do HIV são os principais desafios enfrentados pelos adolescentes que vivem com o HIV na Europa Oriental e na Ásia Central”.

Chinmay Modi, um membro do conselho representando jovens e adolescentes na Coalizão Nacional de Pessoas Vivendo com HIV na Índia, disse: “O estigma e a discriminação continuam sendo um obstáculo fundamental para envolver adolescentes e jovens vivendo com HIV na resposta à AIDS”.

Enquanto os jovens estão fazendo advocacy um maior empenho político e ações para enfrentarem os desafios, eles também estão respondendo a estes mesmos desafios através de suas redes. Moises Maciel, representante da Rede Nacional de Adolescentes e Jovens vivendo com HIV / AIDS no Brasil, disse: “A principal missão do nosso movimento social é agrupar, acolher e apoiar adolescentes e jovens vivendo com HIV. Advogamos e agimos para fortalecer as políticas públicas contra o estigma e o impacto do HIV “.

Carlo Andre Oliveras, Coordenador da Coalizão de Tratamento do HIV entre Adolescentes, disse: “Vemos que a maior parte do trabalho é feito por adolescentes e jovens voluntariamente, sem apoio financeiro e mentoria. Esta reunião é um começo para avaliar onde estamos em nosso movimento. Hoje, o mundo enfrenta muitos desafios; não devemos perder de vista a oportunidade de melhorar as coisas”.

“Minha mensagem a ser levada a frente desta reunião é que cada rede pode melhorar seu trabalho se tivermos uma coordenação mais horizontal, se compartilharmos nossas realizações e falhas, nossos sucessos e dificuldades. Estou deixando esta reunião me sentindo empoderado e, assim que voltar ao Brasil, usarei esse poder para mudar as coisas de forma real “, disse Moises.

Leia também: