PCB do UNAIDS encerra-se com as principais decisões tomadas em relação à colisão de epidemias de HIV e COVID-19

O encontro virtual da 47ª reunião da Junta de Coordenação do Programa do UNAIDS (PCB) foi concluída com importantes decisões relacionadas à resposta ao HIV, à epidemia de COVID-19 e à transformação contínua do UNAIDS.

Em seu discurso de abertura do PCB, a diretora executiva do UNAIDS, Winnie Byanyima, agradeceu aos Estados Unidos da América por presidir a reunião e por sua liderança contínua na resposta à AIDS. Em seu relatório ao PCB sobre o estado da epidemia de HIV, Byanyima descreveu um quadro misto de progresso para alguns, e desigualdade, estagnação ou perigo crescente do HIV para outros países. Com as metas do UNAIDS 2020 não atingidas, ela alertou que a COVID-19 ameaçava tirar a resposta ao HIV dos trilhos ainda e apelou ao mundo para enfrentar as fragilidades, desigualdades e injustiças de longo prazo que continuam a impulsionar a epidemia de HIV.

“Uma segunda pandemia de COVID-19 agora torna a situação consideravelmente mais complexa”, disse Byanyima. “Nossas escolhas são rígidas: voltar aos trilhos combatendo de frente e rapidamente a desigualdade, com a expectativa de que o progresso para algumas pessoas possa ser realizado por todas as pessoas, ou observar enquanto nós escorregamos para trás”.

Em um discurso especial, a secretária-geral adjunta das Nações Unidas, Amina Mohammed, disse que as pessoas que vivem com HIV, as populações-chave e as organizações lideradas pela comunidade são essenciais para ajudar a moldar o futuro da resposta à AIDS. Ela pediu urgência ao PCB para priorizar a adoção da nova estratégia do UNAIDS com suas metas ambiciosas para 2025, de modo que pudesse informar os preparativos para a Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre o Fim da AIDS, prevista para junho de 2021.

“Precisamos de vontade política e compromisso renovado para adotar essa estratégia, para financiar totalmente a resposta global à AIDS e para financiar totalmente o UNAIDS. De forma conjunta, vamos fazer desta década de ação também a década para acabar com a AIDS ”, disse Amina Mohammed.

Durante a reunião, Byanyima agradeceu à Suécia e à Alemanha por anunciarem contribuições financeiras significativas para apoiar o trabalho do UNAIDS, demonstrando seu apoio contínuo à organização. O PCB foi encerrado com um segmento temático sobre câncer cervical e HIV com uma palestra especial da primeira-dama da Namíbia, Monica Geingo.

O PCB elegeu a Namíbia como seu presidente para 2021, com a Tailândia como vice-presidente e os Estados Unidos da América como relator.

O relatório ao PCB da diretora executiva do UNAIDS e as decisões do PCB podem ser encontrados em unaids.org/en/whoweare/pcb/47.