Mulheres vivendo com HIV têm mais probabilidade de acessar o teste de HIV e tratamento

Em quase todas as regiões, as mulheres que vivem com HIV têm mais probabilidade de acessar o teste de HIV e a terapia antirretroviral do que os homens. Em parte devido ao melhor comportamento de busca de saúde entre as mulheres e à existência de serviços relacionados ao HIV projetados especificamente para alcançar as mulheres (como serviços para prevenir a transmissão do HIV de mãe para filho durante o atendimento pré-natal).

Em 2019, a cobertura do tratamento em todo o mundo era 12 pontos percentuais maior entre mulheres vivendo com HIV do que entre homens vivendo com HIV, e a supressão viral era 10 pontos percentuais maior. Essa lacuna de tratamento entre homens que vivem com HIV contribui para o maior número de novas infecções por HIV entre mulheres na África Subsaariana. Estudos longitudinais recentes mostraram como o fechamento dessas lacunas acelera o declínio na incidência de HIV entre as mulheres, especialmente as mulheres jovens.

Cascata de testagem e tratamento do HIV em relação a pessoas, por sexo, mundial, 2019. Fonte: análise especial do UNAIDS, 2020

Saiba mais aqui.