Nos EUA, altos oficiais, congressistas e parceiros reforçam compromisso para acabar com a AIDS entre crianças, adolescentes e jovens mulheres

O UNAIDS e a Fundação Pediátrica para AIDS Elizabeth Glaser sediaram uma sessão de informação parlamentar de Alto Nível no Senado dos Estados Unidos com objetivo de aumentar o impulso em torno do marco de Superaceleração da Resposta – Comece Livre, Permaneça Livre, Livre da AIDS (em inglês Start Free, Stay Free, AIDS Free).  

A iniciativa – lançada pelo UNAIDS, pelo Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para o Combate à AIDS (PEPFAR) e parceiros em junho de 2016 – descreve um conjunto de metas com prazos a serem cumpridos a fim de impedir novas infecções por HIV entre as crianças, prevenir novas infecções por HIV entre adolescentes e mulheres jovens e garantir o acesso ao tratamento antirretroviral.

A iniciativa baseia-se nos progressos realizados no âmbito do Plano Global para eliminar novas infecções por HIV em crianças até 2015 e manter suas mães vivas. O Plano Global fez uma grande contribuição para uma redução de 60% das novas infecções pelo HIV entre crianças desde 2009 nos 21 países da África subsariana mais afetados pela epidemia. Os participantes do painel ressaltaram a necessidade de manter essa dinâmica, alertando que a complacência poderia reverter os ganhos importantes que já foram feitos.

Michel Sidibé, Diretor Executivo do UNAIDS, chamou a atenção para a necessidade de aumentar o acesso ao tratamento para as crianças. Ele disse que, apesar de uma expansão do tratamento para as crianças – que foi duplicado nos últimos cinco anos e resultou em uma redução em 44% no número de mortes relacionadas ao HIV entre elas -, uma em cada duas crianças vivendo com HIV ainda não tem acesso ao tratamento. Sem acesso imediato, cerca de 50% das crianças infectadas ao nascer irão morrer aos 2 anos de idade, segundo ele.

Senadores Edward Markey e Benjamin Cardin, co-anfitriões honorários dessa sessão informativa, e o congressista James Himes referiram-se ao compromisso do povo americano através do PEPFAR e aos resultados importantes que foram alcançados através das fortes parcerias com os países mais afetados pela epidemia.

 

Benjamin L. Cardin, United States Senator

Benjamin L. Cardin – Senador dos Estados Unidos (Foto: UNAIDS)

 

Monica Geingos, primeira-dama da Namíbia, agradeceu o apoio do PEPFAR e do UNAIDS ao seu país e enfatizou a necessidade de um compromisso contínuo para enfrentar os desafios relacionados à prevenção do HIV, desigualdade e normas nocivas de gênero. A Namíbia é líder na resposta ao HIV e um dos seis países – juntamente com Botswana, Moçambique, África do Sul, Suazilândia e Uganda – que atingiram 90% ou mais de mulheres grávidas vivendo com HIV em tratamento antirretroviral capaz de salvar vidas.

Deborah Birx, Coordenadora Global de AIDS dos e Representante Especial dos EUA em Diplomacia para Saúde Global, apresentou dados que ilustram as dramáticas conquistas recentes para frear novas infecções pelo HIV entre as crianças, e descreveu a evolução da dinâmica da epidemia que demanda novas abordagens para que a próxima fase da resposta seja bem-sucedida em abordar as necessidades da maior geração de jovens que o mundo já viu.

Diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, Anthony Fauci, compartilhou uma visão geral da ciência por trás de cada pilar da iniciativa Comece Livre, Continue Livre, Livre da AIDS, mostrando que o mundo tem as ferramentas necessárias para atingir as metas. Outras inovações em ciência do tratamento e da prevenção trazem a promessa de acelerar a resposta ao tornar produtos e serviços mais acessíveis, de fácil utilização e, em geral, mais eficazes.

Falando em sua qualidade como membro do conselho da Fundação Elizabeth Glaser, o ex-senador Christopher Dodd refletiu sobre o compromisso político bipartidário por trás do PEPFAR e a coragem demonstrada por um número de oficiais eleitos num momento em que a AIDS era considerada uma questão difícil e controversa. Ele enfatizou que esse compromisso deve ser constantemente reforçado até que a visão de uma geração livre da AIDS seja alcançada.

Leia também: