ONU lança campanha por um carnaval sem violência

No clima da diversão carnavalesca e da paquera, a campanha Neste carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito começa, nesta segunda-feira (9/2), para chamar a atenção de foliãs e foliões sobre a importância de manter a festa livre de assédio e violência. Ao slogan principal, somam-se mensagens Neste carnaval, perca a vergonha. Denuncie. Ligue 180 e Neste carnaval, perca a vergonha. Proteja-se. Use camisinha.

A campanha atua sobre situações concretas do comportamento da sociedade brasileira, voltando-se a mulheres e homens que se divertem com o carnaval de rua. Segundo a pesquisa do Instituto Avon/Data Popular, realizada em dezembro de 2014, 96% da juventude considera que existe machismo no Brasil, 53% das mulheres jovens e 49% dos homens jovens aprovam valores machistas e 78% delas já foram assediadas em locais públicos. Além disso, outra pesquisa conduzida pelo Ministério da Saúde e divulgada este ano (PCAP 2013), revela que 45% da população não usa camisinha nas relações sexuais.

campanha_carnaval_onu

“A essência do carnaval é a alegria e queremos que seja assim para as mulheres e os homens que vão brincar e pular carnaval em todo o Brasil. Centramos nossa energia nos 20 anos da Plataforma de Ação de Pequim por meio da campanha Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine!, para ampliar o alcance da mensagem pelos direitos das mulheres no carnaval brasileiro”, explica Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil. “Além disso, a campanha orienta a população sobre como identificar atitudes violentas, o que fazer e quais os serviços existentes para esses casos e como se prevenir de doenças sexualmente transmissíveis, HIV e AIDS.”
Com o mote Chega bem, quem chega direito, o fluxograma da paquera traça os caminhos do relacionamento entre mulheres e homens, com cantadas sugestivas e dicas para eles sobre como quebrar o gelo com a gata. No fluxograma, também são indicadas as recusas das mulheres e esses sinais devem ser respeitados pelos homens sem uso de práticas agressivas.  E, ao chegar à parte que diz é o bloco que segue, fim da paquera sem investidas agressivas. No desfecho positivo, o amor de carnaval prevalece com a mensagem Neste carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito.

Do fluxograma da paquera derivam filme para internet e mídia televisiva gratuita, ventarolas para distribuição em blocos do Rio de Janeiro e cartazes para cerca de 5 mil ônibus da frota carioca de transporte público. Em Salvador, com o apoio do Programa foliãs e foliões do Bloco dos Mascarados assistirão ao filme Ter pegada não é faltar com respeito, ao longo das mais de seis horas previstas de festa que o bloco fará no circuito Barra-Ondina.
Além de apoiar diretamente as ações no Rio e em Salvador, o Programa Conjunto da ONU sobre HIV/AIDS apoia a campanha pelos canais online de comunicação.

Saiba mais sobre a campanha

Acompanhe e compartilhe a campanha pelo perfil de Facebook da ONU Mulheres

Leia também: