Precisamos de medidas que assegurem os direitos das pessoas trans, diz ONU

O Brasil celebrou neste dia 29 de janeiro o Dia Nacional da Visibilidade Trans. A celebração desta data tem o intuito de alertar a sociedade sobre a discriminação e a violência a que são submetidos os homens e mulheres trans em diversas dimensões da vida em sociedade.

As vulnerabilidades deste grupo são inúmeras e vão desde a rejeição no seio familiar e a violação do direito à educação e ao emprego até a violência, a criminalização e a transfobia, somadas à falta de reconhecimento de identidade de gênero e à discriminação nos sistemas de saúde.

livres_iguaisO Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) estima que, mundialmente, as pessoas trans tenham 49 vezes mais chances de adquirir o HIV que a população adulta em geral. Atualmente, 19% delas vivem com o vírus em todo o mundo. Apesar da falta de dados recentes sobre a prevalência do HIV nesta população no Brasil, estima-se que o quadro não seja muito diferente do que tem sido visto no mundo e na América Latina.

Para comemorar esta data, o UNAIDS, junto com todo o Sistema ONU no Brasil, parabeniza todas as iniciativas de projetos de lei e políticas públicas que buscam garantir os direitos da população trans. Também reiteramos nosso compromisso em apoiar o Brasil nesta importante tarefa e colocamo-nos à disposição para trabalhar juntos para atingir este objetivo.

Nesta data, gostaríamos ainda de reconhecer o valioso trabalho realizado pelas lideranças travestis e transexuais do Brasil, pelo seu protagonismo e defesa incessante dos direitos da população trans, tanto no Brasil como nos fóruns internacionais, expressando suas realidades e legítimas demandas e auxiliando a construirmos uma sociedade mais justa e igualitária.

Leia a declaração completa do Sistema ONU no Brasil em comemoração ao Dia Nacional da Visibilidade Trans.

Leia também: