Brasília vibra com a campanha Proteja o Gol

A Copa do Mundo trouxe a Brasília dias de muita alegria e cor – e é nesse clima que as ações da Proteja o Gol têm transcorrido na cidade. Assim como nas outras 11 cidades-sede da Copa do Mundo, em Brasília a campanha global do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS) vem distribuindo preservativos e disseminando informações sobre HIV/AIDS entre residentes e turistas, ao longo ao longo de quatro dias específicos: 18 e 23 de junho, no FanFest em Taguatinga; 25 de junho, na Rodoviária do Plano Piloto, no estádio Mané Garrincha e em toda a zona central da cidade; e 28 de junho, novamente na FanFest.

“As pessoas têm sido muito receptivas, acolhedoras – e a gente percebeu que as mulheres estão empoderadas e mais ativas quanto a se informarem sobre as doenças sexualmente transmissíveis, o HIV e a AIDS”, disse Lúcia Pires, que trabalha no Nucleo Programa de Redução de Danos (NPRD) da Gerência de DST/Aids da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. “Brasília parece estar bem consciente”, comemorou. Lúcia estima que 11 mil preservativos e folderes foram distribuídos em durante a FanFest do dia 28, paralelamente ao disputado jogo do Brasil contra o Chile.

Em Brasília não houve a testagem rápida na Fan Fest que a campanha promoveu nas outras cidades-sede, mas as pessoas abordadas pela equipe foram orientadas a também conhecer e procurar o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), que fica discretamente localizado no mezanino da Rodoviária do Plano Piloto. Lúcia explica que, lá, os interessados podem conversar com as equipes de atendimento e, se interessadas em seguir adiante, fazer os testes para detecção de HIV, hepatite e sifilis, e assistir a palestras informativas sobre o tema.

A iniciativa Proteja o Gol integra os esforços do UNAIDS rumo à sua grande meta – alcançar a visão de zero nova infecção por HIV, zero discriminação e zero morte relacionada à AIDS – e é fruto de sua parceria com o Fundo de Populações das Nações Unidas (UNFPA), o Ministério da Saúde, a Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República, o Governo da Bahia e a Prefeitura de Salvador. A campanha também conta com o apoio da Embaixada da França; da Foundation for AIDS Research (amfAR); da Editora Abril; do Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge); da Escola Paulista de Propaganda e Marketing (ESPM).

Leia também: