Como o UNAIDS calcula os dados sobre pessoas vivendo com HIV em tratamento antirretroviral?

Estimar o número de pessoas vivendo com HIV em tratamento é essencial para acompanhar a resposta global à AIDS. O tratamento para o HIV vai além de manter as pessoas vivas, mas também, ao reduzir a carga viral de uma pessoa, reduz consideravelmente a chance de uma pessoa vivendo com HIV transmitir o vírus para seu parceiro.

O UNAIDS publicou a última estimativa de pessoas vivendo com HIV com acesso à terapia antirretroviral no relatório Um longo caminho a percorrer (saiba mais aqui). Estima-se que 21,7 milhões de pessoas das 36,9 milhões de pessoas vivendo com HIV estavam em tratamento para o HIV no final de 2017.

No total, 143 países apresentaram os dados que foram usados pelo UNAIDS para compilar a estimativa, representando 91% do total estimado de pessoas em tratamento em todo o mundo. Esses 143 países fornecem números reais de pessoas em tratamento. Nos casos dos poucos países que não fornecem contagens, são utilizadas estimativas. Os países relatam seus números de pessoas em tratamento—adultos e crianças, separados por sexo—, por meio da ferramenta Global AIDS Monitoring, a cada seis meses. Dados semelhantes são incluídos no software do UNAIDS chamado Spectrum.

O UNAIDS fornece assistência técnica e treinamento para oficiais de saúde pública e clínicos—que são as pessoas responsáveis por compilar os números nos países—para garantir que seus relatórios sobre a cobertura do tratamento sejam precisos. Além disso, todos os anos, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização Mundial de Saúde e outros parceiros que apoiam a prestação de serviços de tratamento, o UNAIDS revê e valida os números de tratamento relatados por meio da ferramenta de Monitoramento Global da AIDS e do Spectrum. Quando as estimativas do UNAIDS sobre a cobertura do tratamento nos países são comparadas com as estimativas feitas nas Avaliações de Impacto do HIV Baseadas em População e em outras pesquisas, são percebidos níveis semelhantes de cobertura de tratamento.

Em 2017, o UNAIDS realizou a triangulação dos dados como forma de confirmar ou negar os resultados da coleta anual. Essa análise procurou responder a uma pergunta simples: os medicamentos antirretrovirais são produzidos e comprados em quantidades suficientes para tratar o número de pessoas relatadas como ’em tratamento’?

No final de 2016, 19,4 milhões de pessoas estavam em terapia antirretroviral em todo o mundo, com aproximadamente 14,1 milhões de pessoas com acesso ao tratamento em países de baixa e média renda com acesso a genéricos.

Um estudo feito com base na quantidade de medicamentos antirretrovirais fabricados na Índia (exportados ou consumidos internamente) em 2016 mostrou os medicamentos produzidos eram suficientes para tratar 11,4 milhões de pessoas por ano. Quando outros medicamentos genéricos antirretrovirais produzidos em outros países são a estimativa de pessoas que podem ser tratadas por ano é de 14,2 milhões–16,2 milhões de pessoas em tratamento por ano—o suficiente para tratar as 14,1 milhões de pessoas em países de baixa e média renda com acesso a genéricos.

Em 2018, o UNAIDS fez uma parceria com a Organização Mundial da Saúde, o Fundo Global de Luta contra a AIDS, Tuberculose e Malária, parceiros técnicos e Ministérios da Saúde de 28 países, a maioria na África Subsaariana, para realizar revisões de qualidade dos dados reportados de tratamento, assim como onde é encontrada contagem excedente ou subcontagem, para adequar relatórios atuais e o histórico dos números de tratamento. Revisões de qualidade de dados desde 2016 foram usadas para ajustar estimativas, por exemplo: levando em consideração pessoas que se transferem de uma clínica para outra, mas são relatadas por ambas as clínicas, ou pessoas que morreram, deixaram os cuidados ou emigraram, mas não são identificadas e removidas dos registros de tratamento.

Mais detalhes sobre os métodos de cálculo do número de pessoas em tratamento podem ser encontrados no anexo sobre métodos do relatório Um longo caminho a percorrer (saiba mais aqui). Mais detalhes sobre como a triangulação foi conduzida podem ser encontrados em inglês aqui.

Leia também: