UNAIDS apoia pedido do Fundo Global para o aumento de recursos pelo fim das epidemias de AIDS, tuberculose e malária

O UNAIDS apoia fortemente as convocações feitas pelo Fundo Global de Combate à AIDS, Tuberculose e Malária (Fundo Global) para recursos adicionais para seu próximo ciclo de financiamento. Esses recursos vão apoiar os esforços dos países para alcançar as Metas de Aceleração da Resposta pelo fim da epidemia de AIDS até 2030, como parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

O Fundo Global pede a governos, setor privado e outras organizações um total de 13 bilhões de dólares para o período entre 2017 e 2019, valor estimado para que seja possível salvar milhões de vidas e evitar centenas de milhões de infecções e novos casos de HIV, tuberculose (TB) e malária. A convocação foi feita na Reunião Preparatória da Quinta Reposição do Fundo Global, realizada em Tóquio, no Japão, dias 16 e 17 de dezembro.

A conferência que dará seguimento a este encontro da capital japonesa acontecerá em meados de 2016 para finalizar o esforço para atingir o nível de financiamento necessário do Fundo Global para o próximo período de três anos.

“Temos de investir recursos adicionais hoje para acabar com essas epidemias. Caso contrário, este trio mortal de epidemias vai reivindicar mais milhões de vidas, o que representa um custo ainda maior de longo prazo”, disse o Diretor Executivo do UNAIDS, Michel Sidibé.

Resultado de uma parceria entre governos, sociedade civil, setor privado e pessoas afetadas pelas doenças, o Fundo Global atualmente mobiliza e investe quase US$ 4 bilhões anualmente para apoiar programas geridos localmente em mais de 100 países.

O UNAIDS apoia os países em todos os estágios de financiamento do ciclo de concessão do Fundo Global — desde a coleta e a análise de dados epidemiológicos e informações estratégicas até o desenvolvimento de casos sólidos de investimento em HIV, passando pelo apoio a planos estratégicos nacionais e pedidos de financiamento, a negociações para doações e assinaturas bem como pela implementação de programas e monitoramento e avaliação.

Embora muito progresso tenha sido feito na resposta às epidemias, o duplo impacto do HIV e da tuberculose (TB) continua a ser devastador para milhões de pessoas e suas famílias. De 1,5 milhão de pessoas mortas por TB em 2014, 400 mil eram HIV positivo. As doenças relacionadas à AIDS custaram 1,2 milhão de vidas em 2014, o que incluiu as 400 mil mortes por tuberculose entre as pessoas soropositivas.

newsflash-2015-11-25-01

A malária também causa centenas de milhares de mortes a cada ano, principalmente entre as crianças.

Acabar com AIDS até 2030 é um investimento inteligente e vai evitar um número estimado de 21 milhões de mortes relacionadas à AIDS e 28 milhões de novas infecções pelo HIV, incluindo 5,9 milhões de novas infecções pelo HIV entre as crianças.

Leia também: