Encontro de estados amazônicos marca pré-congresso de AIDS e hepatites virais em João Pessoa

Representantes de diversos estados amazônicos se reuniram em João Pessoa para debater o cenário epidemiológico do HIV na região norte e identificar os principais desafios  da resposta local à epidemia.

O principal objetivo do encontro foi promover a articulação entre diversos atores dos governos  federal, estadual  e municipal, bem como da sociedade civil organizada para identificação das demandas e desafios mais urgentes que estes estados têm em comum.  Eles também debateram o compartilhamento de experiências exitosas  que podem contribuir para o fortalecimento da resposta à epidemia de HIV/AIDS na região.

DSCN4586

Participantes do encontro de estados amazônicos em João Pessoa (PB). ©Daniel de Castro/UNAIDS Brasil

 

A Diretora Adjunta do Departamento de DST/AIDS e Hepatites Virais, Adele Benzaken, deu início à reunião com uma apresentação sobre os dados epidemiológicos da região Norte,  que apontam para a importancia da região na resposta nacional à epidemia. Foram apresentadas em seguida duas boas práticas que têm sido desenvolvidas no estado do Amazonas nas áreas de transmissão vertical do HIV e no desenvolvimento da linha de cuidado para pessoas vivendo com HIV.

A reunião contou também com a participação do coordenador do programa de AIDS do Peru – Carlos Benites – que apresentou as ações que tem sido realizadas em seu país para o enfrentamento a epidemia entre populações indígenas – e as médicas Silvana Lima, Coordenadora Estadual de DST/AIDS e Hepatites Virais do Amazonas, e Romina Oliveira, infectologista da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado, em Manaus (AM).

“O trabalho iniciado em 2008 com o Amazonaids, envolvendo governo federal, governos  locais, ONU e sociedade civil, abriu as portas e criou oportunidades para dar visibilidade à região de tríplice fronteira do Alto Solimões”, disse Georgiana Braga-Orillard, Diretora do UNAIDS no Brasil.

“Muitos obstáculos foram vencidos, mas ainda há muitos a serem superados para que consigamos conter e reverter essas epidemias na região”, ressaltou.

Para a Diretora Adjunta do Departamento de DST/AIDS e Hepatites Virais, Adele Benzaken, uma das precursoras deste trabalho de prevenção e resposta à AIDS na região amazônica, o trabalho da Interfederativa do Amazonas – estruturado sobre muitas das lições aprendidas ao longo da iniciativa Amazonaids – já conta com experiências e resultados que precisam ser replicados e adaptados também para outras regiões do país.

Durante o encontro, representantes peruanos pediram foco na prevenção da transmissão vertical no sistema de saúde local. Além disso, destacaram a necessidades de reuniões mais constantes entre governos de fronteira para encaminhamento de decisões e planejamento de ações futuras.

Entre outros pontos importantes destacaram-se:  a demanda por ações de cooperação  e compartilhamento de boas práticas entre os estados da região; fortalecimento das ações com populações indígenas;  capacitação de profissionais e agentes de saúde; fortalecimento da articulação com as organizações da sociedade civil;  ampliação do trabalho relacionado ao uso de drogas, incluindo a emergência do uso de heroína injetável e enfrentamento estigma e a discriminação, que têm afetado  o acesso e adesão ao tratamento das pessoas vivendo com HIV.

Leia também: