UNAIDS participa do 10º Congresso de HIV/AIDS e 3º Congresso de Hepatites Virais em João Pessoa (PB)

A cidade de João Pessoa(PB) sediará entre os dias 17 e 20 de novembro o 10º Congresso de HIV/AIDS e o 3º Congresso de Hepatites Virais, “Novos Horizontes, Novas Respostas”, do Ministério da Saúde – que reunirão organismos internacionais, governo brasileiro e sociedade civil em torno de um intenso debate sobre as ideias mais inovadoras que hoje permeiam os dois grandes temas.

Cerca de 3 mil pessoas são esperadas no Centro de Convenções Poeta Ronaldo Cunha Lima. Os congressos serão realizados pelo Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais (DDAHV) do Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e o Governo da Paraíba.

O Sistema ONU no Brasil, que contará com um estande e miniauditório dentro do Congresso, estará representado pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e alguns de seus 11 copatrocinadores: ACNUR, UNICEF, PNUD, UNFPA, UNODC, ONU Mulheres, OIT, UNESCO, OMS/OPAS. Veja aqui a programação das rodas de conversa preparados para o estande da ONU durante o Congresso em João Pessoa.

O espaço da ONU contará ainda com duas exposições fotográficas. A exposição Além do Olhar traz a perspectiva de internos e profissionais do sistema carcerário, que puderam expressar seus olhares sobre o ambiente prisional, através da captura de imagens que representem as percepções e os sentimentos de quem vive o cotidiano dos presídios brasileiros. A exposição TransVer, do fotógrafo Fábio Rebello, retrata como as pessoas trans provocam deslocamentos do olhar com suas modificações do corpo, das roupas, da postura, revelando outras formas de ser, e mostrando que são pessoas que também merecem ser vistas com respeito.

“Estamos vivendo um momento histórico no enfrentamento da epidemia. Este ano alcançamos as metas para conter e reverter a epidemia de AIDS no mundo, assumidas por meio do Objetivo de Desenvolvimento do Milênio 6, agora já conseguimos vislumbrar o fim da epidemia até 2030”, afirma Georgiana Braga-Orillard, Diretora do UNAIDS no Brasil. “O compromisso assumido pelos Países-Membros da ONU com a adoção recente dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, especialmente o ODS 3, vai nos ajudar a traçar este caminho”

Sob o mote “Novos Horizontes, Novas Respostas”, os quase cinco dias de atividades abordarão os principais tópicos que hoje permeiam as discussões em torno do HIV/AIDS e das hepatites virais – entre prevenção, diagnóstico e tratamento.

Segundo o diretor do DDAHV, Fábio Mesquita – que preside os congressos –, o 10º Congresso de HIV/AIDS traz “três grandes destaques que devem ser acompanhados de perto”: a eliminação dos níveis epidêmicos do HIV/AIDS até 2030; a implementação da Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) como política pública; e o próprio debate sobre a cura do agravo. A programação completa está disponível no site www.aids.gov.br.

Os eventos serão abertos pela conferência “Por que pensar no fim da epidemia em 2030”, do médico e pesquisador argentino Julio Montaner. Radicado no Canáda, Montaner – um dos grandes ícones da luta contemporânea contra a AIDS, por ser criador da estratégia “Tratamento como Prevenção” (“Treatment as key to Prevention”/TasP) – estabeleceu parâmetros novos e revolucionários para as estratégias de enfrentamento à epidemia, com grande repercussão internacional. A conferência de Montaner se dará logo após a cerimônia de abertura do Congresso.

(com informações do Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde)