Casamento coletivo marca a 18ª Parada LGBT de Brasília

#OAmorVenceu. A hashtag, que ficou em destaque nas mídias sociais com a aprovação do casamento gay nos EUA pela Suprema Corte do país, também esteve entre as mais discutidas e comemoradas em Brasília durante as celebrações do Dia Mundial do Orgulho LGBT (28/06). O lema marcou o casamento coletivo de dez casais homoafetivos realizado no gramado à frente do Congresso Nacional e deu o tom da festa que movimentou a capital federal durante a 18ª Parada do Orgulho LGBT de Brasília.

Raphael e Wesley dizem “SIM” durante o casamento coletivo. Foto: Daniel de Castro/UNAIDS Brasil

“O Brasil precisa ser um país digno. Um país que aceita tanto os heterossexuais quanto as lésbicas, as trans e os gays”, afirmou Wesley Pereira, 23 anos, um dos noivos da cerimônia. Para ele, o casamento com Raphael Kelven em frente à casa do poder legislativo é um marco muito importante para a luta pelos direitos das pessoas LGBT. “O casamento é para mostrar que estamos na luta e que estamos para vencer”, disse.

A cerimônia foi realizada pela juíza de paz Abiail Ferreira e teve como padrinhos de honra a deputada Érika Kokay (PT-DF) e o embaixador da Bélgica, Jozef Smets, que estava acompanhado do seu marido, Cristophe Degraeuwe. O embaixador da Holanda, Han Peters, foi testemunha do casamento.

Após o casamento coletivo e os pronunciamentos de lideranças do movimento LGBT, a Parada seguiu por todo o Eixo Monumental até a Torre de TV. De acordo com a Polícia Militar, o desfile reuniu 15 mil pessoas. Já os organizadores afirmam que 60 mil pessoas participaram do evento.

Ludmille e Mayara após trocarem alianças no casamento coletivo. Foto: Jessyca Zaniboni/UNAIDS Brasil

#AIgualdadeDigoSim

Com o lema “À igualdade, digo sim”, a parada contou com dois trios elétricos para animar os participantes.

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil foi um dos apoiadores da Parada LGBT, em parceria com o Instituto Sabin. A participação buscou promover a iniciativa #ZeroDiscriminação através de mensagens, postagens nas mídias sociais e engajamento  dos casais envolvidos  no casamento coletivo e do público em geral.

UNAIDS e Instituto Sabin levaram para a festa os balões #ZeroDiscriminação e distribuíram as borboletas coloridas símbolo da iniciativa com mensagens de prevenção e de respeito aos direitos humanos. Foto : Jessyca Zaniboni/UNAIDS Brasil

Às vésperas da Parada (26/6), a Embaixada da Bélgica ofereceu uma recepção aos casais de noivos e noivas em conjunto com os organizadores do evento LGBT. Durante o jantar, os casais puderam registrar sua adesão à iniciativa #ZeroDiscriminação por meio de uma série de posts para as redes sociais com o objetivo de convidar o público em geral a comparecer à Esplanada no dia da parada e para apoiar o casamento igualitário coletivo.

Veja aqui o álbum de fotos do evento realizado na Embaixada da Bélgica.

O UNAIDS apoiou a divulgação da Parada pelo Distrito Federal. Foram produzidos cartazes para o Dia dos Namorados (12/6), afixados em cerca de 500 paradas de ônibus, convidando o público para o grande evento de domingo. (veja abaixo)

“A Zero Discriminação tem tudo a ver com o propósito desta 18ª Parada, que reafirma um direito civil essencial: o da liberdade de união civil estável entre duas pessoas do mesmo sexo e que se amam”, afirmou a Diretora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga-Orillard. “Nós estamos aqui apoiando a Parada e o casamento coletivo porque o UNAIDS, através da iniciativa Zero Discriminação, defende a inclusão das pessoas LGBT nas diversas instâncias da vida em sociedade, , ou seja, o direito de acesso à educação, aos direitos civis, à saúde, entre tantos outros”, disse.

E se você chegou até aqui, divirta-se agora com o vídeo feito pela Equipe do UNAIDS, resumindo esta grande festa – ao som de Shine it on, da cantora Wanessa.