Corrida Positiva: zero discriminação contra adolescentes vivendo com HIV na Índia

Enquanto as nuvens escuras da monção dão lugar ao sol, raios púrpura amarelados iluminam o rosto de Ambika. Ela aperta os olhos e continua a examinar atentamente a alface verde que cresce no quintal. A jovem de 17 anos vive com  HIV e perdeu os pais para a AIDS. Com brilho nos olhos e um sorriso perpétuo, ela menciona esporadicamente que gosta de correr durante as manhãs. Mais tarde, seu treinador orgulhosamente revela que ela corre 10 quilômetros, e que se prepara para participar da próxima Maratona de Durban. Suas amigas Ashwini e Bhawani, de 18 e 16 anos, ambas vivendo com HIV e corredoras de 10 km, mencionam orgulhosamente que “Ambika venceu a corrida de Bangalore Ultra. Foram 12,5 km!”

Essas jovens são parte de uma iniciativa chamada O Campeão em mim (do inglês Champion in Me), que usa o esporte para vencer o estigma e discriminação contra adolescentes vivendo com HIV. Localizado em Bangalore, na Índia, o programa usa a corrida como ferramenta de fortalecimento e empoderamento. Hoje, quase 200 crianças vivendo com HIV fazem parte do programa, que continua a crescer. Eles vivem como uma família nas instalações da Snehagram, uma organização localizada em Tamil Nadu. Com o objetivo de atender às necessidades dos adolescentes vivendo com HIV, o programa oferece oportunidades de curto e longo prazo para o aprendizado acadêmico e o desenvolvimento de habilidades vocacionais.

Manik e Babu, ambos de 18 anos, fazem parte do O Campeão em mim. Eles participaram de mais de 20 corridas, incluindo eventos como os Jogos Internacionais para Crianças na Holanda, a Maratona IDBI em Nova Delhi e a Maratona de Boston. Sua jornada, desafios e experiências foram documentados pelo Corrida Positiva, um filme exibido na Conferência Internacional de AIDS 2018, que acontece em Amsterdã, Holanda, de 23 a 27 de julho.

Manik disse: “Este filme vai te motivar a questionar a imagem convencional de um indivíduo que vive com HIV na Índia e como é feito o tratamento”. Babu explica que o filme lança luz sobre como o esporte pode ser usado para integrar um segmento da sociedade que é vulnerável e discriminado.

O seu treinador, Elvis Joseph, disse: “Eu tenho campeões que estão correndo não apenas por eles mesmos, mas por todos os seus amigos que vivem com HIV.”

“Esses jovens que vivem com HIV inspiraram todos nós. Eles agora documentaram suas vidas neste filme tocante”, disse Bilali Camara, diretor do UNAIDS para a Índia.

Leia também: