A explosão demográfica da juventude

A explosão demográfica da juventude não é um fenômeno novo. As gerações mais jovens quase sempre foram mais numerosas do que a geração anterior. No entanto, antes do século XX, a alta mortalidade infantil significava que muitas crianças não sobreviviam até a idade adulta.

Grandes melhorias nos serviços de nutrição e saúde nos últimos 30 anos tiveram um impacto significativo nas tendências populacionais da África Subsaariana. Devido à notáveis diminuições de mortalidade infantil—e grandes reduções na transmissão vertical do HIV—as taxas de sobrevivência infantil melhoraram significativamente.

Uma nova Nota Explicativa do UNAIDS mostra os efeitos que a explosão demográfica dos jovens teve na resposta à AIDS. Como o número total de jovens cresceu e a cobertura dos serviços de prevenção permaneceu a mesma, mais jovens foram colocados em risco de infecção por HIV.

Uma análise dos dados do UNAIDS mostra que o número de novas infecções por HIV entre jovens de 15-24 anos diminuiu em 22% de 2010 a 2017. No entanto, se o contingente populacional e a taxa de incidência tivessem permanecido estáveis, o declínio de novas infecções por  HIV entre jovens de 15-24 anos teria sido de 36%.

A Nota Explicativa mostra os desafios da juventude, explica como os jovens estão sob maior risco de infecção por HIV e pede que os países ampliem seus serviços para jovens.

A nova série de Notas Explicativas do UNAIDS visa informar os leitores sobre questões chave ou emergentes na resposta à AIDS. Com recomendações para gestores de programas e conselhos para respostas nacionais, são documentos breves, mas com um retrato informativo do conhecimento atual sobre uma área da resposta à AIDS.

Leia também: