Em Brasília (DF), jovens recebem certificados do 1º Curso de Orçamento Público em Saúde

Ao final de quatro meses de formação, 13 jovens residentes no Distrito Federal conseguiram concluir o Curso de Orçamento Público em Saúde, Advocacy e Negociação para Jovens Lideranças no Distrito Federal. Como parte de um projeto-piloto organizado pelo UNAIDS Brasil, a capacitação teve como objetivo ampliar a incidência política de jovens e a participação no controle social da saúde pública dentro do DF, com foco em questões de HIV e AIDS. A cerimônia de encerramento do curso aconteceu no início de abril (6/4), na Casa da ONU em Brasília.

Participaram da formação principalmente jovens de populações-chave e prioritárias, como pessoas vivendo com HIV/AIDS, gays e outros homens que fazem sexo com homens, travestis, transexuais e população negra. A seleção foi feita por meio de chamada pública.

DSC_0122

O curso, que teve início em janeiro, intercalou sessões presenciais com estudos dirigidos, sessões de coaching e atividades de campo, entre elas estiveram encontros com o gerente de IST/AIDS da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, Sérgio D’Ávila.

Divididos em grupos, os alunos também construíram quatro projetos nas temáticas de comunicação, fortalecimento dos conselhos gestores, educação sexual nas escolas e capacitação de profissionais de saúde, voltados para melhorar a qualidade de vida da população do DF. Os projetos foram apresentados e discutidos junto ao Secretário de Saúde do Distrito Federal.

“Tivemos, durante esse período, uma experiência bem interessante. Conseguimos desmistificar o pensamento de que propor e negociar com o estado é uma coisa complicada”, explica Iradj Eghrari, facilitador do curso. “Eu acredito que esse curso tem o papel de ser o iniciador de um processo e que muita gente vai poder aproveitar o que foi iniciado aqui.”

A Diretora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga-Orillard, acredita que o balanço final deste projeto-piloto foi muito positivo, não apenas na capacitação pessoal dos jovens participantes, mas como um projeto que pode ter resultados concretos e definitivos na saúde pública em todo o país.

“O número de casos de HIV entre jovens têm aumentado, então é muito importante que os próprios jovens se envolvam em todo o processo de construção da agenda em saúde e levem suas necessidades aos gestores“, explica Georgiana. “Também é importante lembrar que tudo o que aprenderam aqui não fica só com eles, vai ser disseminado em outras esferas e para outras pessoas, ampliando a participação pública na esfera governamental.”

DSC_0049

Durante o encerramento, os participantes fizeram um debate para expor suas impressões sobre o curso e falar da importância de uma atividade envolvendo a capacitação em orçamento público. Confira algumas das principais conclusões: 

“O que mais me surpreendeu foi o fato de termos criado conteúdos reais e projetos que podem transformar a realidade do HIV e AIDS aqui no DF. Perceber isso no final é muito gratificante. A gente soube articular com instituições, e isso empodera. Faz a gente se sentir capacitado para poder realizar alguma mudança sólida na sociedade.”
Felipe Rezende, formado em Relações Internacionais.

“Ver um projeto ser construído do início, e acompanhar todos os degraus, é uma sensação muito interessante. Quando a gente entende como cada etapa funciona, a gente passa a entender a importância de ter bons projetos, saber onde entrar e cobrar.”
Taís Rodrigues, estudante de Jornalismo.

“Sempre me vi em todos os passos do projeto pensando em como isso poderia mudar a vida de alguém. E quando for posto em prática, com certeza vai mudar.”
Josué de Oliveira, estudante de Odontologia.

“Eu acredito que o maior aprendizado foi compreender a necessidade do outro. Entender outras expectativas, tentar achar uma solução que não prejudicasse nenhuma das partes, ser diplomática. Dentro de uma negociação a gente tem que saber compreender o lado do outro independente de posicionamento político. O trabalho de ceder pode ser traduzido em empatia”, defende.”
Jeffie Cardoli, estudante de Direito.

Projetos desenvolvidos pelos participantes

Conheça os projetos de cada área temática, elaborados durante o Curso de Orçamento Público em Saúde, Advocacy e Negociação para Jovens Lideranças no Distrito Federal:

Comunicação: Utilizar mídias alternativas, tais como YouTube, Facebook e/ou Twitter, para despertar o interesse do jovem nas questões que envolvem a área da saúde e especificamente HIV/AIDS e ISTs. Estabelecer uma capacitação para comunicadores das mídias comerciais e comunitárias a fim de nivelar os conhecimentos sobre ISTs com a finalidade de garantir a diminuição do estigma, promover integração e qualidade nos processos de produção de informação.

Fortalecimento dos Conselhos Gestores: Criar e consolidar um Conselho de Gestão em Ceilândia que seja capaz de levantar informações e demandas sobre os usuários do SUS, e que irá fiscalizar e controlar/acompanhar a execução das políticas públicas de saúde, visando o fornecimento do melhor serviço possível na área para os usuários e funcionários da saúde.

Educação sexual nas escolas: Mobilizar a comunidade escolar acerca do tema HIV/AIDS. Promover um concurso de redação e multimídia na escola com assuntos relacionados ao tema.

Capacitação de profissionais de saúde: Fortalecer a descentralização dos serviços de atenção básica relacionados ao HIV por meio da formação de jovens lideranças e profissionais de saúde, e do fomento a ações de acolhimento, testagem, tratamento e prevenção.

Leia também: