Copa do Mundo UNAIDS pelo Fim da AIDS e da Discriminação começa na Rússia

Lendas do futebol russo e internacional e jogadores russos que vivem com HIV juntaram forças no dia 17 de abril para disputar a primeira partida de futebol da Copa do Mundo UNAIDS pelo Fim da AIDS e da Discriminação. As estrelas do futebol internacional e nacional chamam atenção para o estigma enfrentado pelas pessoas que vivem com HIV e demonstraram o valor da boa vontade, da solidariedade e dos valores humanos para acabar com o estigma e a discriminação.

A partida aconteceu em Moscou, na véspera da abertura da 6ª Conferência de AIDS da Europa Oriental e Ásia Central. Este foi o primeiro de uma série de jogos a serem realizados com o apoio da FIFA em vários países em preparação para a Copa do Mundo 2018, que será realizada na Rússia de 14 de junho a 15 de julho de 2018. A iniciativa destaca a necessidade de zero discriminação baseada em raça, nacionalidade ou estado sorológico para o HIV – dentro e fora do campo.

A equipe do Time Russo “Rosich” foi liderada pelo seu capitão, Vice-Primeiro Ministro e Presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2018, Arkady Dvorkovich. Os membros da equipe incluíam o Ministro da Energia, Alexander Novak, o ex-jogador russo e Oficial de Combate à Discriminação na Copa do Mundo 2018, Alexey Smertin, além dos ex-jogadores russos Dmitry Bulykin, Roman Shirokov, Evgeny Aldonin, Dmitry Sennikov, Oleg Kornaukhov, Marat Makhmutov, Vladimir Leonchenko e Roman Berezovsky.

Michel Sidibé, Diretor Executivo do UNAIDS, treinou a equipe “Red Ribbon” do UNAIDS, que foi capitaneada pelo ex-jogador camaronês Samuel Eto’o. A equipe “Red Ribbon” contou com a presença do ex-jogador senegalês, Abdoulaye Diagne-Faye, do ex-jogador da França e da Martinica, Julien Faubert, do ex-jogador internacional sub-21 florentino, Florent Sinama-Pongolle, do ex-jogador internacional nigeriano, Peter Odemwingie, do ex-jogador internacional marroquino, Jaouad Zairi, do ex-jogador internacional búlgaro nascido no Brasil, Marcelo da Costa, da ex-jogadora internacional palestina e Oficial da FIFA, Honey Thalidjieh, e do ex- jogador internacional de Madagascar, Alister Veerasamy.

CITAÇÕES

“Eu acho que a Conferência de AIDS é uma boa base para intensificar os esforços contra o HIV na Rússia e em todo o mundo. Estamos felizes em contribuir para a resposta, atraindo jogadores de futebol, políticos e outras pessoas famosas. Espero que nossos esforços tenham impacto na prevenção da discriminação em qualquer esfera.”
ARKADY DVORKOVICH, VICE-PRIMEIRO MINISTRO DA FEDERAÇÃO RUSSA, PRESIDENTE DO COMITÊ ORGANIZADOR DA COPA DO MUNDO FIFA 2018

“O futebol é mais do que apenas um jogo. É um veículo para conectar pessoas e construir um movimento social ousado para a mudança. É uma honra lançar a campanha da Copa do Mundo UNAIDS pelo Fim da AIDS e da Discriminação, juntamente com parceiros do governo russo, da Copa do Mundo FIFA 2018 e de estrelas internacionais do futebol aqui em Moscou.”
MICHEL SIDIBÉ, DIRETOR EXECUTIVO DO UNAIDS

“Entedemos o futebol como muito mais do que um simples jogo de 90 minutos. Ele também traz sentimentos muito importantes de respeito, fraternidade e união para as nossas vidas. O simples fato de que jogadores internacionais russos, em conjunto com jogadores russos que vivem com HIV, optaram por jogar nesta partida, mostra claramente que estamos unidos no trabalho para alcançar a zero discriminação, independentemente de raça, cor, fé, gênero ou estado sorológico para o HIV. Faremos tudo que estiver em nosso alcance para que todos os jogadores e torcedores que chegarem à Rússia para a Copa do Mundo FIFA 2018 se sintam bem-vindos, à vontade e em casa.”
ALEXEI SMERTIN, EX-JOGADOR DO CHELSEA E JOGADOR INTERNACIONAL RUSSO, OFICIAL DE COMBATE À DISCRIMINAÇÃO DA FIFA PARA A COPA DO MUNDO DE 2018

“Estou muito feliz por estar de volta a este país maravilhoso, a esta cidade incrível. É uma honra estar envolvido neste trabalho nobre de acabar com a AIDS e contra a discriminação.”
SAMUEL ETO’O, JOGADOR INTERNACIONAL CAMARONENSE

Leia também: