Abraçômetro ultrapassa 2km de abraços, ganha apoio de Embaixadores do UNAIDS e  segue com ações até o final do ano

Mais de dois quilômetros de abraços. Esse é o balanço das metas alcançadas pela campanha #EuAbraço na plataforma abraçometro.org.br durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Junto a tanto calor humano compartilhado veio também a distribuição de cerca de 500 mil preservativos e milhares de mensagens sobre a importância da prevenção ao HIV e do respeito à diversidade. Fruto da dedicação e do esforço conjunto de diversos parceiros, a ação se inspirou no princípio 6 da Carta Olímpica – de zero discriminação e igualdade de oportunidades a todos – para provocar a reflexão sobre a resposta ao HIV e à AIDS no Brasil e no mundo.

Os abraços presenciais e virtuais compartilhados no Abraçômetro ajudaram a campanha a espalhar essas mensagens e também a alcançar alguma metas inusitadas, como as de abraçar simbolicamente diversos locais importantes da Cidade Olímpica:Praça Mauá e a Praça XV – onde se encontrava o Boulevard Olímpico da Zona Portuária do Rio -, o Engenhão – local das provas de atletismo -, e os mundialmente famosos Maracanã e Sambódromo – todos palcos de momentos inesquecíveis tanto para o esporte quanto para a promoção do espírito olímpico e da união entre culturas e povos.

Coisas para fazer até o fim de 2016Durante sua passagem pelo Rio de Janeiro, o Diretor Executivo Adjunto do UNAIDS e Secretário-Geral Assistente da ONU, Luiz Loures, reforçou a importância de acabarmos com o preconceito e a discriminação se quisermos acabar com a epidemia de AIDS. “De forma geral, o problema não é mais o HIV. Para o HIV, nós temos os instrumentos. O problema é o estigma e a discriminação”, afirmou. “Outro ponto importante desta campanha é que ela tem um foco na geração que pode definir o fim da AIDS, a geração mais jovem.”

Segundo ele, grandes eventos como os Jogos Olímpicos, que são de grande apelo para jovens, representam um momento importante para criar essa reflexão e aproveitar a oportunidade para promover mudança de percepção e de comportamento. “As Olimpíadas são, sem dúvida, um momento de celebração do esporte, mas sempre foi e deve ser também de celebração da diversidade, como diz o princípio 6 da Carta Olímpica”, explicou Loures

<a href="https://flic.kr/s/aHskHL3ffS" target="_blank">Click to View</a>

Dezenas de voluntários – incluindo um time divertido e engajado de drag queens – abordaram turistas e moradores do Rio para promover abraços pelo fim do preconceito e da discriminação, aproveitando o momento para também distribuir preservativos e falar sobre prevenção ao HIV.

“Aproveitamos esse momento, e esse espírito olímpico, para passar essas mensagens importantes”, disse a Diretora do UNAIDS, Georgiana Braga-Orillard, durante as ações no Boulevard Olímpico. “Para que abracem a diversidade, abracem as pessoas que são mais vulneráveis à epidemia, e também para falar de prevenção, testagem e tratamento do HIV.” (veja abaixo um resumo das ações no Rio de Janeiro)

A campanha #EuAbraço recebeu também o apoio importante de celebridades, que ajudaram a espalhar as mensagens e a sensibilizar muitos que não puderam estar no Rio de Janeiro para os Jogos. Uma delas foi a jornalista e apresentadora da CNN Español, Alejandra Ora, Embaixadora de Boa Vontade do UNAIDS para América Latina e Caribe.

“O que se busca por essa ação do UNAIDS é demonstrar que o carinho e a tolerância são a cura para a discriminação”, disse a venezuelana na abertura da reportagem feita para o programa Café Rio, transmitido pela CNN Español durante os Jogos Rio 2016. Bem-humorada e cheia de energia, ela estima ter abraçado dezenas de pessoas durante uma das ações com os voluntários da campanha na Praça XV, região central do Rio. “Estimo que hoje abracei umas 50 a 75 pessoas, melhorei muito minha saúde, pressão arterial, liberei ocitocina, enfim, todo mundo em casa também pode fazer isso.” (veja abaixo a reportagem completa em espanhol)

A #EuAbraço continua…

A Embaixadora de Boa Vontade do UNAIDS no Brasil, a cantora Wanessa Camargo, também é uma das apoiadoras da campanha. Em meio a uma agenda frenética de shows e compromissos com o novo trabalho musical, Wanessa tem levado essa mensagem para os palcos, programas de TV e para seus milhões de seguidores nas redes sociais.

“Hoje a gente está vivendo um momento muito difícil. Um momento em que as pessoas estão vivendo intolerância, discriminação. E a discriminação afasta as pessoas umas das outras”, afirma Wanessa em um dos seus vídeos para os fãs. “E quando a gente fala de saúde, isso é muito grave porque a discriminação afasta as pessoas da prevenção, dos cuidados, ela exclui as pessoas. Eu abraço a prevenção, eu abraço o amor, eu abraço a união.”

Em Salvador, São Paulo e Porto Alegre, diversos grupos aderiram à campanha promovendo suas mensagens compartilhando seus abraços na plataforma Abraçômetro. Foi o caso das lideranças estudantis e coordenadores pedagógicos de 50 escolas estaduais de São Paulo, durante palestras do projeto Conscieduca – Conscientização e Informação para Líderes de Educação e Alunos sobre HIV e Gravidez nas Escolas. Desenvolvido através de uma parceria entre a Fundação Poder Jovem e a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, o projeto tem o objetivo de transformar lideranças estudantis em multiplicadores de informação sobre prevenção ao HIV. Além da prevenção, o #Conscieduca também tem o intuito de desestigmatizar o jovem que vive com HIV ou que se relaciona de alguma forma com soropositivos.

<a href="https://flic.kr/s/aHskKywPkL" target="_blank">Click to View</a>

A Campanha #EuAbraço segue em ação pelas redes sociais até o final de 2016. O objetivo é também abraçar causas importantes relacionadas à resposta ao HIV, como o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS (1º de dezembro) e o Dia Mundial de Direitos Humanos (10 de dezembro).

Veja como você pode participar, envolver sua família, sua comunidade, seus amigos na escola e no trabalho. Assista ao tutorial sobre o Abraçômetro e abrace muito!

A #EuAbraço é uma iniciativa do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e do Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde do Brasil, em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e a União Europeia. A campanha contou também com o apoio da AIDS Healthcare Foundation (AHF Brasil) e o Grupo Pela Vidda-Rio de Janeiro para as ações de mobilização social dos voluntários no Rio de Janeiro durante os Jogos Rio 2016. As ações de mobilização de voluntários e profissionais da saúde em Salvador contaram com o apoio da Prefeitura de Salvador e do GAPA-Bahia.