Rússia compromete-se a levar tratamento para 75% das pessoas vivendo com HIV até 2019

“Temos que garantir a todas as pessoas vivendo com HIV na Rússia tenham acesso rápido ao tratamento adequado. O Ministério da Saúde planeja aumentar a cobertura de terapia antirretroviral para pessoas vivendo com HIV, e que conhecem seu estado sorológico, para 75% até 2019; e este número deve chegar a 90% até 2020”. A afirmação foi feita pela Ministra da Saúde da Rússia, Veronika Skvortsova, na 28ª reunião do Conselho de Saúde da Comunidade dos Estados Independentes, realizada em Saransk, na Federação Russa (4/9), durante a qual ela  reiterou o compromisso do país de alcançar as metas acordadas na Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre o Fim da AIDS em 2016.

Em 2018, a Federação Russa informou pela primeira vez sobre o progresso nacional em direção às metas 90-90-90 – em 2017, 81% das pessoas vivendo com HIV na Federação Russa sabiam seu estado sorológico, 45% que sabiam seu estado sorológico estavam em tratamento e 75% que estavam em tratamento tiveram sua carga viral suprimida.

A fim de melhorar a informação estratégica e construir evidências para a tomada de decisões no nível local, o Ministério da Saúde da Rússia realizou recentemente uma capacitação sobre estimativas de HIV para representantes de 10 regiões russas. Especialistas regionais foram treinados na modelagem de estimativas de HIV, o que ajudará a garantir uma visão mais completa do número de pessoas vivendo com HIV e das metas 90-90-90 no nível subnacional.

A Europa Oriental e a Ásia Central compõem a única região em que o número de novas infecções pelo HIV e mortes relacionadas à AIDS ainda estão aumentando. No final de 2017, o número de novas infecções pelo HIV na região chegou a 130 mil. No final de 2017, a cascata 90-90-90 na região foi estimada em 73%, 50% e 72%.

“A declaração do Ministro da Saúde da Rússia é outro passo importante em uma série de ações consistentes realizadas pelo governo da Federação Russa para acelerar a abordagem de Aceleração da Resposta do país para alcançar 90-90-90 até 2020,” disse Vinay P. Saldanha, Diretor da Equipe de Suporte Regional para a Europa Oriental e Ásia Central.