Ações em Salvador incentivam o debate sobre prevenção do HIV e Zero Discriminação

Como parte das atividades que marcam o Dia Mundial contra a AIDS (celebrado dia 1º de Dezembro), o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) Municipal Marymar Novaes—com apoio da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, UNAIDS, Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS (RNP+Brasil) e Cidadãs PosiTHIVas—, realizou nesta quinta-feira (23/11) a terceira edição do Seminário Posithivamente em Salvador (Bahia).

O seminário é uma forma de envolver a sociedade na discussão sobre o HIV através da troca de experiências entre profissionais da saúde e pessoas que vivem com HIV, com o objetivo de eliminar dúvidas e, principalmente, o estigma relacionado ao HIV.

“Para fortalecer essa luta e enfrentar as adversidades, é preciso discutir e ir fundo no enfrentamento da situação”, comentou Sulamita Meneses, gerente do Setor do Serviço de Atenção Especializada da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador.

A edição de 2017 do seminário teve o tema Discriminação: Uma Pedra no Caminho, em referência às dificuldades que as pessoas vivendo com HIV enfrentam. O debate contou com a participação do ator, influenciador digital e youtubers soropositivo Gabriel Estrela, do Canal Projeto Boa Sorte. Durante o encontro, Estrela falou sobre a experiência de usar a arte para tratar de temas relacionados à vivência com HIV e AIDS.

“Estou com 25 anos, fui diagnosticado com o HIV aos 18 anos e há três anos decidi falar abertamente sobre AIDS, sempre por meio da arte e lançando mão das ferramentas modernas de comunicação, como fotografia, vídeo, mídias sociais”, contou o jovem ator. “Dessa forma, é possível alcançar um público mais abrangente, entendendo sempre que falar sobre essas questões é um importante meio de levar esse diálogo adiante.”

Para Estrela, momentos como o proporcionado em seminários como este são uma forma importante de interação, pois facilita a troca de experiências e torna possível levar esse tipo de diálogo para outros ambientes. “Em um próximo momento, podemos nos encontrar para desenvolver novos assuntos, trocar informações e renovar as energias para ganhar ânimo e fazer um trabalho ainda melhor”, completa.

Gabriel Estrela falou sobre sua experiência de usar a arte, o youtube e o teatro para falar sobre temas relacionados ao HIV e ao estigma

O III Seminário Posithivamente reuniu cerca de 100 pessoas no Complexo Clementino Fraga. Entre os participantes estavam usuários dos serviços de saúde, ativistas e profissionais de saúde, com destaque para a grande participação do público jovem vivendo e convivendo com HIV.

Para Moyses Toniolo, Conselheiro Nacional de Saude, pela Anaids, que também participou do Seminário, “Foi estimulante ver outras formas de prática do ativismo. Ter a participação de um blogueiro soropositivo como Gabriel Estrela trazendo sua experiência nos mostra o quanto podemos ampliar nossas formas de comunicação com a juventude e a sociedade em geral. Faz oxigenar a esperança de vencermos as barreiras geracionais para trazer a prevenção a AIDS e a luta contra o preconceito e o estigma mas próxima de todas as pessoas”.

Semana Vermelha

A tradicional Semana Vermelha de Salvador teve início oficialmente no dia 26/12, com a realização do II Curso para ativistas jovens em Saúde e Direitos Humanos, que aconteceu na Biblioteca Central do Estado da Bahia no dia 28/12. Dezenas de jovens puderam debater questões relevantes de saúde pública e HIV, e participar de uma importante troca de experiências com jovens lideranças locais que já haviam participado da primeira edição em 2016, bem como do que passaram pela capacitação feita em âmbito nacional, fruto de parceria entre o Ministério da Saúde e o UNAIDS, além de outras agências da ONU (UNFPA, UNICEF e UNESCO).

Pipoca da Prevenção

Outra iniciativa de peso foi a Pipoca da Prevenção, que  também marcou as atividades da Semana Vermelha de Salvador. Organizada pelo GAPA Bahia (Grupo de Apoio à Prevenção à AIDS) e pelo UNAIDS Brasil, com apoio da Secretaria Municipal de Saúde e do site Dois Terços, a iniciativa teve início no Carnaval de Salvador de 2017 e faz alusão aos foliões da pipoca, termo comumente usado para definir as pessoas que curtem o carnaval gratuitamente, sem vínculo com nenhum bloco específico.

No dia 1º de dezembro, organizações e ativistas, em apoio à iniciativa da Pipoca da Prevenção, fizeram distribuição de preservativos na Estação da Lapa do Metrô, divulgando mensagens de conscientização sobre a importância da prevenção de ISTs e também indicando os locais mais próximos para testagem de HIV, sífilis e hepatite B.

“Um dos objetivos da campanha foi levar a temática da prevenção para as ruas, mobilizando ativistas locais e divulgando para as pessoas que o preservativo está disponível e que elas podem ter acesso gratuito às camisinhas masculina e feminina”, explica Javier Angonoa, consultor do UNAIDS na Bahia.

Veja abaixo a agenda da Semana Vermelha de Salvador: