UNAIDS pede 20 bilhões de preservativos até 2020

Todos os dias, mais de um milhão de pessoas contraem uma doença sexualmente transmissível (DST) ao redor do mundo e todos os anos, estima-se que sejam registrados cerca de 80 milhões de casos de gravidez indesejada.Os preservativos provaram ser 98% eficazes na prevenção de DSTs e do HIV. Além disso, preservativos masculinos e femininos previnem casos de gravidez indesejada quando usados corretamente e de forma consistente.

Os preservativos provaram ser 98% eficazes na prevenção de DSTs e do HIV. Além disso, preservativos masculinos e femininos previnem casos de gravidez indesejada quando usados corretamente e de forma consistente.

Apesar de aumento no uso de preservativos durante as últimas duas décadas, estudos relataram que o uso de preservativos durante a última relação sexual de uma pessoa com um parceiro não regular variou de 80% em alguns países para menos de 30% em outros. Há uma necessidade urgente de os países fortalecerem a demanda  e a oferta de preservativos e lubrificantes à base de água.

Dessa forma, o UNAIDS pede que haja um aumento dos investimentos por parte de doadores e governos para a promoção e distribuição de preservativos masculinos e femininos, a fim de garantir que todos tenham acesso a preservativos para proteger a si mesmos e a seus parceiros do HIV, das DSTs e de casos de gravidez indesejada.

“Investir em preservativos salva vidas. É inaceitável que tantas pessoas estejam sendo infectadas com o HIV e com  infecções sexualmente transmissíveis porque não têm acesso a algo tão fácil de usar, eficaz e de baixo custo como preservativos.”

– Diretor Executivo Adjunto do UNAIDS, Luiz Loures

A relação custo-benefício dos preservativos é extremamente alta e, além disso, eles contribuem muito para a prevenção de novas infecções pelo HIV. Estima-se que 50 milhões de infecções pelo HIV tenham sido  evitadas graças ao uso do preservativo desde os anos 1980. Apesar de os preservativos terem baixo custo, o financiamento internacional para a aquisição destes insumos  na África sub-saariana tem diminuído  nos últimos anos.

Para atingir o objetivo do UNAIDS de redução de novas infecções para menos de 500.000 até  2020, são necessários mais compromissos políticos e um maior investimento na prevenção do HIV.

Parcerias colaborativas são necessárias para apoiar os esforços nacionais e para incentivar a utilização de preservativos.

São igualmente necessárias medidas para aumentar o financiamento interno e investimento do setor privado na distribuição e na promoção do uso de preservativos.

O UNAIDS está trabalhando em conjunto com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e outros parceiros para apoiar novos investimentos em programas relacionados a preservativos e para acelerar o aumento em escala do seu uso em países onde a maioria das novas DSTs está ocorrendo.

A nova Estratégia UNAIDS 2016-2021 fixou um objetivo global e ambicioso de aumentar a disponibilidade anual de preservativos para 20 bilhões até 2020 em países de baixa e média renda e para atingir 90% do uso do preservativo durante a mais recente relação sexual com um parceiro não regular.

Contato

UNAIDS Genebra | Sophie Barton-Knott | tel. +41 22 791 1697 | bartonknotts@unaids.org

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV / AIDS (UNAIDS) lidera e inspira o mundo para alcançar a sua visão compartilhada de zero novas infecções por HIV, zero de discriminação e zero mortes relacionadas a AIDS. UNAIDS une os esforços de 11 organizações – ACNUR, UNICEF, PMA, PNUD, UNFPA, UNODC, ONU Mulheres, da OIT, UNESCO, OMS e do Mundo das Nações Unidas Banco e trabalha em estreita colaboração com parceiros nacionais e globais para acabar com a epidemia de AIDS em 2030 como parte dos Objetivos de Desenvolvimento sustentável.

Saiba mais em unaids.org e se conecte com a gente no Facebook, Twitter e Instagram.