Acelerando os esforços de prevenção combinada

A disponibilidade ampliada de medicamentos antirretrovirais e seu efeito benéfico em suprimir a carga viral das pessoas vivendo com HIV está contribuindo para a redução de novas infecções pelo HIV.

No entanto, isso não é suficiente. Para acabar com a epidemia da AIDS até 2030, é urgentemente necessário a ampliação dos esforços de prevenção combinada focalizada.

Em uma nova publicação, Acelerando a prevenção combinada: rumo a redução de novas infecções por HIV para menos de 500 000 até 2020, o UNAIDS destaca a importância de programas de prevenção combinada de HIV focados e integrados. O relatório redefine o que significa prevenção combinada e analisa os elementos que tornam a prevenção combinada eficaz e quão eficientes eles podem ser.

“Esta publicação destaca ainda a importância de acelerar a prevenção combinada e é uma contribuição fundamental para alcançar os objetivos do UNAIDS de reduzir as novas infecções pelo HIV para menos de 500 mil até 2020”, disse Luiz Loures, Diretor Executivo Adjunto do UNAIDS.

O UNAIDS define seis requisitos que os países devem seguir para maximizar o impacto dos programas de prevenção combinada. Estes são: o forte compromisso com a prevenção do HIV, incluindo  a alocação suficiente de orçamento; focalização dos programas de prevenção onde eles são necessários; fortalecimento das sinergias entre  diferentes elementos de programas de prevenção combinada e de tratamento; entrega em escala; incorporação e monitoramento da ampliação de programas; e estabelecimento de metas claras e mecanismos de responsabilização e prestação de contas para todos os envolvidos.

Leia também: