Ações do UNAIDS no Brasil

Projetos e iniciativas

#ZeroDiscriminção

A iniciativa Zero Discriminação celebra o direito de todos a uma vida plena e produtiva com dignidade – não importando sua origem, orientação sexual, identidade de gênero, sorologia para o HIV ou  raça e etnia. Unindo vozes, comunidades, indivíduos e sociedades, podemos transformar o mundo para melhor todos os dias e em todos os lugares. A Zero Discriminação busca demonstrar que todos podem ser informados e promover a tolerância, compaixão e paz.

Lançada mundialmente em 2013, a iniciativa Zero Discriminação tem como meta combater qualquer estigma que impeça o direito a uma vida plena, digna e produtiva. A borboleta da campanha – símbolo de um processo de transformação – representa o compromisso em assumir um comportamento aberto à diversidade e à tolerância.

Liderada pela porta-voz do UNAIDS para a Zero Discriminação e vencedora do prêmio Nobel da Paz, Daw Aung San Suu Kyi, a iniciativa consagrou o dia 1º de março como Dia de Zero Discriminação – buscando mobilizar jovens, comunidades, organizações religiosas e defensores dos direitos humanos, entre outros, para a promoção da inclusão e do respeito a esses direitos inalienáveis.

No Brasil, a Zero Discriminação conta com o apoio de Mateus Solano, Embaixador de Boa Vontade do UNAIDS, como porta-voz oficial da iniciativa para trazer à tona o debate sobre a discriminação e a promoção dos direitos humanos.

Confira nossa material interativo sobre a inciativa:

19172088608_ef271811bb_o

Mostra Internacional de Filmes #ZeroDiscriminação

As comemorações na capital federal para o Dia Mundial de luta contra a AIDS (1/12) e o Dia Internacional de Direitos Humanos (10/12) de 2015 foram marcadas por uma iniciativa inédita: a I Mostra Internacional de Filmes #ZeroDiscriminação. O evento tinha como objetivo promover uma reflexão através da arte sobre as diferentes formas de discriminação e violação dos Direitos Humanos.

10410500_826064347473183_8294596975707109033_nA Mostra #ZeroDiscriminação, que foi exibida de 1 a 10 de dezembro em Brasília, contou com dez filmes e documentários de nove países diferentes. O premiado filme americano Clube de Compras Dallas abriu a Mostra, precedida de cerimônia de abertura e debate. Além da exibição de filmes e documentários, a mostra contou com exposições fotográficas instaladas nas unidades da Asa Sul da Casa Thomas Jefferson e da Aliança Francesa.

Coordenada pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/AIDS no Brasil (UNAIDS), a iniciativa é resultado de uma parceria com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e 12 representações diplomáticas com sede em Brasília: Alemanha, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, México, Países Baixos, Polônia, Portugal, Reino Unido, Suécia e União Europeia.

Exposições fotográficas
TRANS[ver], do fotógrafo Fábio Rebelo, poderá ser visitada na Aliança Francesa da Asa Sul de 1 a 10 de dezembro. As fotos retratam travestis e transexuais e suas modificações no corpo, roupas e modo de agir, como forma de expressar com naturalidade que elas também são pessoas com direitos e que merecem ser vistas e tratadas com respeito.

A exposição A liberdade do olhar poderá ser visitada de 1º a 10 de dezembro, na Casa Thomas Jefferson  da Asa Sul. O trabalho mostra a vida e a realidade de dois presídios de Porto Alegre (RS) a partir da visão das pessoas privadas de liberdade e de funcionários. As exposições também são gratuitas.

22

A Hora é Agora

A Hora é Agora é um projeto inovador focado em gays e outros homens que fazem sexo com homens – população mais afetada pela epidemia no Brasil – que reúne esforços de organismos internacionais, do governo brasileiro, de universidades e organizações da sociedade civil concentrados no município de Curitiba. O projeto, estruturado em intervenções baseadas em evidência científica, visa ampliar o diagnóstico precoce do HIV e facilitar o acesso ao tratamento para essa população, através da oferta de testagem em lugares alternativas e em formas não convencionais. Entre as muitas inovações está a possibilidade de solicitação por internet e entrega pelo correio de testes que podem ser autoaplicados por aqueles que preferem esta alternativa. O projeto conta com uma estrutura de apoio formada por profissionais de saúde e educadores de pares qualificados para apoiar os usuários e facilitar seu acesso à rede de cuidado.

O projeto A Hora É Agora é uma parceria entre a Prefeitura de Curitiba, o Departamento de DST/AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, a Fundação Oswaldo Cruz, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos da América (CDC), o Grupo Dignidade, a Universidade Federal do Paraná e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Visite o site do projeto em: www.ahoraeagora.org.

10000985_388089821359528_3519214661438478395_o

Plano Integrado

O Plano Integrado da ONU em apoio à Resposta à Aids nos estados do Amazonas – AMAZONAIDS –, Bahia – LAÇOS SOCIAIDS – e Rio Grande do Sul – AIDSTCHÊ – é uma iniciativa liderada pelo UNAIDS, que vem sendo implementada desde 2008, em uma associação entre Agências da ONU, governos federal, estaduais e municipais, sociedade civil e outros parceiros estratégicos. O Plano Integrado visa fortalecer capacidades locais para melhor responder à epidemia da aids, bem como harmonizar as ações das agências da ONU e de outros parceiros, otimizando o uso de recursos técnicos e financeiros e apoiando as prioridades dos governos locais. O Plano Integrado é também um instrumento para o fortalecimento de ações intersetoriais e para a mobilização de novos recursos e parcerias no apoio às respostas locais à aids nos dois estados.

Estabelecido a partir da prioridade nacional relativa à necessidade de se responder às inequidades regionais, as iniciativas buscam fortalecer sinergias locais com o apoio coordenado das Agências do Sistema ONU, por meio do Grupo Temático Ampliado da ONU sobre HIV/Aids (GT/UNAIDS) e da Equipe Conjunta da ONU sobre HIV/Aids (Joint UN Team on AIDS).

As iniciativas têm caráter multisetorial, desenhadas e implementadas em parceria com os Governos Federal, Estaduais e dos municípios das áreas de abrangência, além de outros parceiros locais dos dois Estados, os quais, por meio de Grupos Gestores, definem temas de ação, áreas geográficas e prioridades para os planos de trabalho. Esses Planos de Trabalho são monitorados pelos Grupos Gestores e acompanhados diretamente pela Equipe Conjunta da ONU sobre HIV/AIDS.

As Agências do Sistema ONU mobilizam-se e coordenam-se para apoiar ações propostas pelos Grupos Gestores Locais, bem como otimizam e ampliam as atividades em apoio à resposta à epidemia nas regiões. Trata-se de uma oportunidade de harmonização e coordenação de iniciativas, de otimização na aplicação dos recursos e promoção de maior eficácia, além da mobilização de novos recursos.

Década Internacional de Afrodescendentes

Desde a proclamação pela Assembleia Geral da ONU do período entre 2015 e 2024 como a Década Internacional de Afrodescendentes (resolução 68/237) com o tema “reconhecimento, justiça e desenvolvimento”, os organismos das Nações Unidas uniram esforços para celebrar e marcar o início da #DécadaAFRO no país. Este ano, o UNAIDS Brasil apoiou o lançamento da Década de Afrodescentes em Brasília, durante a abertura do Festival da Mulher Afro-Latino-Americana.

Em 2014, as Nações Unidas celebraram o Dia da Juventude com o tema Juventude Negra contra o Racismo e pela Paz. Jovens grafitaram um mural na Casa da ONU pela manhã e à tarde houve um debate com jovens – mediado pelo apresentador e sociólogo Big Richard – sobre temas em destaque na agenda da juventude brasileira, como preparação para uma campanha nacional de sensibilização sobre a Juventude Negra e a Paz.

Bu2vbwtIIAElG9d

Saiba mais sobre estas atividades em: http://www.decada-afro-onu.org/

capa_facebook_1

 

Campanhas

Proteja o Gol

Nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo, a campanha global do UNAIDS distribuiu milhares de preservativos, disseminou informações sobre HIV/AIDS entre residentes e turistas e disponibilizou, com o apoio do Ministério da Saúde, testagem gratuita para o HIV nas concentrações e nos Fan Fests.

A iniciativa Proteja o Gol foi fruto de uma parceria com o Fundo de Populações das Nações Unidas (UNFPA), o Ministério da Saúde, a Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República, o Governo da Bahia e a Prefeitura de Salvador. A campanha também conta com o apoio da Embaixada da França; da Foundation for AIDS Research (amfAR); da Editora Abril; do Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge); da Escola Paulista de Propaganda e Marketing (ESPM).

10362778_734465113280738_8796735509019840578_o-666x444

Mulheres e Direitos

A campanha Mulheres e Direitos, fruto de uma parceria entre o UNAIDS, a União Europeia, o UNFPA, e a ONU Mulheres, buscava contribuir para a conscientização da população brasileira sobre redução da violência contra a mulher, promover a equidade de gênero e a saúde feminina, através de spots de rádio, folders, DVDs, painéis e vídeos em português, inglês, espanhol e tikuna – idioma indígena falado por mais de 30 mil pessoas no Brasil.

20150902

Laço Vermelho

A Campanha do Laço Vermelho – Parceria entre o UNAIDS e a ABM, a Campanha consiste em incentivar os prefeitos de todos os 5.565 municípios brasileiros a colocar, entre os dias 25 de novembro e 5 de dezembro, um laço vermelho em algum marco importante da cidade, para marcar o dia 1º de dezembro, Dia Mundial de Luta contra a AIDS. Em 2011, a Campanha contará com a adesão do Ministério da Saúde à parceria.

Em 2010, foram enviadas cartas oficiais para cada prefeito(a), apresentando a campanha e convidando-os(as) a participar. A carta sugeria, ainda, que os municípios realizassem um evento para marcar o Dia Mundial de Luta contra a AIDS e a compartilhar com o escritório do UNAIDS fotos e informações sobre a realização da campanha em seu município.

O Laço Vermelho é o símbolo internacional da consciência sobre o HIV e a AIDS, e também um símbolo de esperança e apoio, e é usado por um número cada vez maior de pessoas por todo o mundo para demonstrar sua preocupação com a epidemia, além de expressar visualmente solidariedade com aqueles que vivem com o vírus. O dia 1º de dezembro foi declarado Dia Mundial de Luta contra a AIDS pela Organização Mundial da Saúde em 1988 e serve como uma data para reforçar as esperanças de todos aqueles envolvidos na superação da epidemia.

A Campanha do Laço Vermelho de 2010 promoveu uma grande mobilização de municípios de todo o país e possibilitou a realização de atividades em cidades do interior de quase todos os estados. Um total de 121 municípios, de 21 estados, incluindo seis capitais (Brasília, Manaus, Natal, Porto Alegre, Salvador e São Paulo), enviaram fotos e informes ao escritório do UNAIDS. Esses municípios correspondem a uma população de mais de 28 milhões de pessoas, ou seja, a cerca de 14% da população brasileira, direta ou indiretamente atingida pela campanha.

Foram mais de 900 fotos, recortes de jornal e relatórios das atividades que demonstram o grande interesse despertado pela Campanha.

Veja fotos da Campanha do Laço Vermelho 2011 com as regiões Norte e Nordeste aqui.

Veja fotos dos Municípios participantes da Região Sudeste aqui.

Municípios participantes da Campanha Laço Vermelho 2010 – REGIÃO SUDESTE

  • Espírito Santo (ES): Colatina, Ibiraçu, Muniz Freire, Nova Venécia, Santa Teresa,
  • Minas Gerais (MG): Alagoa, Brumadinho, Buritis, Congonhas, Conquista, Itabirinha, Janaúba, Lavras, Leandro Ferreira, Manhumirim, Pedra Azul, Pedra Dourada, Vazante.
  • São Paulo (SP): Adamantina, Altair, Barueri, Batatais, Cotia, Cravinhos, Guarulhos, Itapetininga, Itatiba, Manduri, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Orlândia, Pereira Barreto, Presidente Venceslau, Rio Claro, Saltinho, São Paulo, Tejupá, Tupi Paulista, Várzea Paulista, Votuporanga

Veja fotos dos municípios das Regiões Norte e Nordeste que participaram da Campanha do Laço Vermelho 2010 aqui.

Veja fotos da cerimônia de entrega dos Certificados para as regiões Norte e Nordeste aqui. 

6099454639_bd619ebc92_o

Cerimônia de entrega dos cerficiados aos municípios das regiões Norte e Nordeste participantes da Campanha do Laço Vermelho 2010

Correios contra a AIDS

Pela primeira vez no Brasil, os Correios colocaram suas agências à disposição da sociedade para divulgação de informações sobre prevenção à AIDS e às doenças sexualmente transmissíveis. Trata-se da Campanha “Correios na Luta Contra a AIDS”, uma parceria inédita entre Ministério das Comunicações, Correios, o Programa Conjunto da ONU sobre HIV/AIDS (UNAIDS), o Ministério da Saúde, a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a União Postal Internacional (UPU), a UNI Global Union e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (FENTECT), da qual o Brasil é um dos setes países piloto.

Em uma primeira fase, os materiais da campanha foram distribuídos no Distrito Federal e em regiões prioritárias no Amazonas e na Bahia, estados onde as Agências de Nações Unidas atuam conjuntamente em uma parceria em apoio à resposta à AIDS.

Os folderes, cartazes, postais com mensagens de prevenção e as estratégias de mobilização foram adaptados às necessidades e especificidades de nosso país. O slogan internacional “Your post office cares” foi modificado para “Os Correios estão na Luta Contra a AIDS. E você? Proteja-se: use camisinha”. A proposta brasileira amplia a iniciativa internacional e tem como peças: cartazes, cartões postais e uma carta postada pelos Correios com informações para a população.

Uma segunda fase da Campanha já está em implementação, e inclui a capacitação de trabalhadores dos Correios e o lançamento de um selo alusivo aos 30 anos do descobrimento do vírus da AIDS.

selos_ziraldo_cmb_PDF13.pdf

Igual a Você

Igual à Você é uma campanha contra as violações de direitos humanos e desigualdades, especialmente nas áreas da saúde, educação, emprego, segurança e convivência. Trata-se de uma oportunidade de sensibilização da sociedade brasileira para o respeito às diferenças que caracterizam cada um dos grupos sociais inseridos na campanha, reafirmando a igualdade de direitos.

Liderada pelo UNAIDS e por outras Agências da ONU (UNESCO, UNODC, ONU-Mulheres e ACNUR), a campanha tem a parceria de redes da sociedade civil que lutam pela igualdade de direitos: ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais), AMNB (Associação Brasileira de Mulheres Negras Brasileiras), ANTRA (Articulação Nacional de Travestis, Transexuais e Transgêneros), Movimento Brasileiro de Pessoas Vivendo com HIV/AIDS e Rede Brasileira de Prostitutas. O material foi produzido pela agência [X]Brasil – Comunicação em Causas Públicas e gravado em estúdio com trilha sonora original de Felipe Radicetti.

A campanha chama a atenção para o preconceito que estudantes, gays, lésbicas, pessoas vivendo com HIV, população negra, profissionais do sexo, refugiados, transexuais e travestis e usuários de drogas vivenciam todos os dias no Brasil. O preconceito se manifesta por meio de atitudes e práticas discriminatórias, tais como humilhações, agressões e acusações injustas pelo simples fato de as pessoas fazerem parte de um grupo social específico.

São 10 filmetes e spots de rádio de 30 segundos cada, os quais também estão disponíveis com legendas em inglês e espanhol e cuja distribuição e divulgação é livre.

FRAGMENTOS – Direitos humanos em pauta

O vídeo “Fragmentos” traz uma compilação de depoimentos colhidos durante a produção da Campanha Igual à Você. Os testemunhos apresentados destacam as experiências de discriminação e preconceito específicas vividas por representantes das populações retratadas na Igual à Você (estudantes, gays, lésbicas, pessoas vivendo com HIV, população negra, profissionais do sexo, refugiados, transexuais
e travestis e usuários de drogas).

Mais do que retratar os desafios, o vídeo Fragmentos traz mensagens de esperança e de compromisso com os direitos humanos expressos na voz dos participantes da Campanha Igual à Você.

logo_igual_voce