UNAIDS pede que todas as mulheres vivendo com HIV tenham acesso ao exame para câncer de colo do útero


No Dia Mundial do Câncer, o UNAIDS pede que todas as mulheres vivendo com HIV tenham acesso a informações sobre o vírus do papiloma humano (HPV) e ao exame e, se necessário, recebam tratamento para o câncer do colo do útero.

O câncer do colo do útero pode ser prevenido e tratável, caso seja descoberto precocemente. No entanto, cerca de  metade das 500.000 mulheres diagnosticadas com câncer do colo do útero anualmente  morrem em decorrência da doença. Nove em cada dez mulheres que morrem desse tipo de câncer vivem em países de baixa e média renda. Estima-se que este número possa dobrar em 2035 se a prevenção, o exame e os esforços relacionados ao câncer de colo do útero não forem urgentemente ampliados.

O câncer de colo do útero é atualmente o segundo câncer mais comum entre as mulheres que vivem em países de baixa e média renda, e as mulheres que vivem com HIV são particularmente afetadas por ele: elas têm até cinco vezes mais chances de desenvolver câncer de colo do útero do que as mulheres que não têm o vírus.

A maioria dos casos de câncer de colo do útero é causada pelo HPV. As mulheres com sistemas imunológicos saudáveis têm grande probabilidade de eliminar a infecção ao longo do tempo. No entanto, as mulheres vivendo com HIV geralmente tem seu sistema imunológico comprometido e,  portanto, menos chance de livrar-se de uma infecção de HPV. Além disso, descobriu-se que infecções por HPV aumentam significativamente o risco de transmissão do HIV, tanto para homens quanto para mulheres.

Para efetivamente reduzir as mortes causadas pelo câncer de colo do útero, é preciso investir em educação em  saúde, vacinação de meninas adolescentes contra o HPV, exame (juntamente de  aconselhamento e informações) e acesso a tratamentos e cuidados quando necessário.

A relação entre HPV e HIV oferece oportunidades significativas para reduzir o impacto de ambos os vírus, uma vez que os programas já existentes de HIV poderiam desempenhar um papel vital na expansão da prevenção do câncer de colo do útero, bem como na oferta de exames e serviços de tratamento.

A parceria entre o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre a Prevenção e o Controle do Câncer de Colo do Útero e a entidade Pink Ribbon Red Ribbon são exemplos de alianças bem-sucedidas. Iniciativas do tipo devem ser levadas adiante, com uma abordagem mais focada e integrada para salvar a vida das mulheres.