UNAIDS pede por maior acesso a preservativos para todos os que precisam deles


No Dia Internacional do Preservativo, o UNAIDS pede que os países eliminem as barreiras que dificultam o acesso e o uso de preservativos. Os preservativos são um meio eficaz de prevenir o HIV e doenças sexualmente transmissíveis.

Com o número anual de novas infecções por HIV mantendo-se estável em 1,9 milhão nos últimos cinco anos, e inclusive aumentando em algumas partes do mundo, há uma necessidade urgente de melhorar o acesso a opções de prevenção contra o HIV, como preservativos e lubrificantes. Estima-se, por exemplo, que a diferença entre disponibilidade e necessidade de preservativos na África Subsaariana — a região do mundo mais afetada pelo HIV — seja de 3 bilhões.

O UNAIDS apoia o pensamento criativo e estratégico quando se trata de abordagens inovadoras para melhorar a disponibilidade de preservativos. Os países devem disponibilizar as camisinhas gratuitamente, ou a um preço acessível, nas instalações de seus serviços de saúde pública, e engajar-se em estratégias de marketing e de sistemas de distribuição inovadores, abrangendo iniciativas sociais e programas comunitários.

Em 2015, ocorreram 2,1 milhões de novas infecções por HIV em todo o mundo. O aumento do acesso a preservativos é um elemento fundamental para reduzir novas infecções por HIV para menos de 500 000 até 2020 — um marco importante nos esforços para acabar com a epidemia de AIDS até 2030.