3ª Semana Vermelha marca comemorações ao Dia Mundial contra a AIDS em Salvador (BA)


Como parte das ações para o Dia Mundial contra a AIDS – 1º de dezembro – o UNAIDS se uniu a parceiros locais para promover a 3ª Semana Vermelha de Salvador, que aconteceu capital baiana entre os dias 27 de novembro a 2 de dezembro. Outras atividades relacionadas ao tema de HIV/AIDS também foram realizadas ao longo do mês de dezembro.

Fizeram parte dessa mobilização Instituição Beneficente Conceição Macedo (IBCM), Rede de Pessoas Vivendo com HIV, Pastoral da AIDS, o GAPA Bahia, Centro Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa (CEDAP), Secretaria da Educação do Estado da Bahia, Secretaria da Saúde do Estado da Bahia e Secretaria Municipal da Saúde de Salvador. A semana também contou com o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

A Semana Vermelha deste ano teve como tema o Impacto do HIV/AIDS na população jovem, contemplado pela Sessão Especial na Câmara Municipal de Salvador, realizada na manhã do dia 1º de dezembro, com autoria da vereadora Vânia Galvão. A Sessão Solene buscou ressaltar a importância da prevenção e do apoio às pessoas vivendo com HIV e reforçou a necessidade de se trabalhar pelo fim do preconceito. Os jovens do Colégio Estadual Anísio Teixeira, do bairro de Caixa d’Água, que lotaram o plenário da Câmara Legislativa de Salvador, tiveram a oportunidade de acompanhar o debate.

Durante a semana principal de atividades, foram oferecidos ações de testagem, cursos, sessões e seminários sobre prevenção, direitos humanos e impactos do HIV na população jovem. A Oficina de Prevenção ao HIV para jovens e professores foi realizada em 11 escolas da rede pública estadual, trabalhando também questões relacionadas à vulnerabilidade ao HIV e à AIDS.

Foto_Genilson_Coutinho (34)

Javier Angonoa, Consultor do UNAIDS em Salvador,  e participantes do 1º módulo do Curso para Jovens Ativistas em HIV, durante a 3ª Semana Vermelha de Salvador. Foto: Genilson Coutinho/UNAIDS Brasil

Também fez parte das atividades o 1º módulo do curso para Jovens Ativistas em HIV e Direitos Humanos, reuniu 25 jovens universitário e estudantes da capital baiana, também inscritos para a Jornada sobre a Juventude HIV/AIDS e Direitos Humanos – Respostas sociais frente às vulnerabilidades, evento que ocorreu de 13 a 15 de dezembro.

As atividades da  3ª Semana Vermelha de Salvador levaram à população informações importantes sobre a epidemia de HIV em Salvador por meio de mensagens de incentivo à prevenção e à testagem para HIV, ações ligadas à iniciativa Zero Discriminação do UNAIDS e por meio da promoção do respeito e da tolerância. É importante ressaltar a importância do trabalho articulado entre a sociedade civil, a ONU e os movimentos sociais para alcançar promovermos a Aceleração da Resposta à AIDS também nos âmbitos municipal e estadual, somando esforços de diversos setores e trazendo os jovens para o centro dessas ações, explica o consultor do UNAIDS na Bahia, Javier Angonoa.

Veja aqui um resumo das ações em um vídeo produzido pelo UNAIDS no Brasil:

Dados

Em linha com as tendências mundiais, a epidemia de AIDS tem aumentado entre os mais jovens na capital baiana. Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, a taxa de detecção de casos de AIDS por 100.000 habitantes entre jovens de 15 a 24 anos quase triplicou para 46,7 em 2015 – contra os 16,8 registrados em 2010. Essa tendência de aumento da epidemia tem contribuído também para uma elevação no número de pessoas hospitalizadas em Salvador nos últimos anos, em decorrência de complicações causadas pela AIDS.

“Ações como essa têm o objetivo de levar informações básicas, mas essenciais, para esses jovens. Muitos já estão chegando ao sistema de saúde em um estágio muito avançado do vírus no organismo, dentro do quadro que conhecemos que a AIDS provoca”, explica Angonoa. “A semana  busca também chamar atenção para o número de pessoas que não possuem acesso ao tratamento devido a falta de recursos financeiros necessários para o transporte, por exemplo, até os locais onde os serviços de saúde são oferecidos.”

Prevenção ao HIV

Foto_Genilson_Coutinho (71)

Voluntária participa de distribuição de preservativos femininos nas ruas próximas ao Teatro Castro Alves, em Salvador. Foto: Genilson Coutinho/UNAIDS Brasil

A prevenção é um dos pilares mais importantes da resposta ao HIV. A chamada prevenção combinada oferece um leque de métodos e ferramentas para que as pessoas se protejam e protejam seus parceiros, evitando a infecção pelo vírus. Fazem parte da  prevenção combinada: os preservativos masculino e feminino – considerados ainda a forma mais acessível de proteção contra o HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), incluindo a gravidez indesejada -; o teste rápido para o HIV – que é gratuito e sigiloso na rede pública de saúde -; a profilaxia pós-exposição (PEP) – tratamento de 28 dias que precisa ter início em até 72 horas após a exposição -; e o tratamento antirretroviral; entre outros.

Não existe cura para a AIDS, no entanto, o diagnóstico e o tratamento precoce são essenciais para garantir uma qualidade de vida melhor às pessoas que vivem com HIV. O preconceito, a discriminação e o estigma em relação ao HIV ainda são alguns dos principais obstáculos para a Aceleração da Resposta à epidemia de AIDS. A estratégia faz parte da Declaração de Paris, assinada por mais de 20 cidades brasileiras, entre as quais Salvador. Desde 2014, a cidade se comprometeu a adotar medidas para alcançar as metas de tratamento 90-90-90, propostas na Declaração: que até 2020, 90% das pessoas vivendo com HIV estejam diagnosticadas; que 90% dessas estejam em tratamento; e que 90% dessas tenham carga viral indetectável.

Confira as principais ações da 3ª Semana Vermelha de Salvador:

27/11: atividades de testagem e distribuição de panfletos sobre o HIV no Porto da Barra, ação organizada pela IBCM.

28/11: curso para Jovens Ativistas em HIV e Direitos Humanos – Módulo I,  no escritório do UNFPA Pelourinho – ação organizada pelo  UNAIDS em conjunto com o GAPA Bahia. O Módulo II do curso aconteceu no dia 13 de dezembro, durante a Jornada da Juventude, organizada pelo GAPA Bahia.

29/11: Seminário de Atualização em Prevenção Combinada do HIV, organizado pelo CEDAP (Centro Especializado em Diagnóstico, Atendimento e Pesquisa).

30/11: Oficina “Prevenção ao HIV para jovens e professores da Rede Pública Estadual”, no Colégio Raymundo Matta Lobato, organizado pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

01/12: o Dia Mundial contra AIDS, 1º de dezembro, contou com uma programação mais extensa:

  • uma Sessão Especial na Câmara Municipal de Salvador com o tema Impacto do HIV/AIDS na população jovem e desafios na Resposta em Salvador, na parte da manhã.
  • à tarde, houve a caminhada do CEDAP ao Campo Grande –  ambos eventos organizados pela Comissão Organizadora Semana Vermelha 2016.
  • no fim do dia, a IBCM realizou ações de prevenção e testagem para HIV nas ruas de Salvador.

02/12: a Semana Vermelha foi oficialmente encerrada com o Simpósio AIDS e Prevenção, do Programa Estadual de DST, HIV/AIDS e HV, e com a primeira Roda de Conversa com Especialistas, com foco na Profilaxia Pós-Exposição, no Auditório do Complexo Municipal de Vigilância da Saúde.

(Foto de capa: Genilson Coutinho/UNAIDS Brasil)