Mateus Solano, estrela da televisão brasileira, é nomeado Embaixador de Boa Vontade do UNAIDS no Brasil

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) comemorou a indicação de seu primeiro Embaixador de Boa Vontade no Brasil e porta-voz oficial da iniciativa Zero Discriminação no país, Mateus Solano, no dia 22 de agosto, na Casa da ONU.

10494999_744228688990083_1938151525681682454_o

No Brasil, o ator Mateus Solano alcançou grande repercussão e sucesso com seu último papel em uma telenovela, Amor à Vida, interpretando o primeiro beijo entre homens gays na história da televisão brasileira. Ao desempenhar seu novo papel, como Embaixador de Boa Vontade e porta-voz de Zero Discriminação, Mateus Solano usará de seu prestígio para trazer à tona o debate sobre a discriminação e a promoção dos direitos humanos.

A cerimônia de nomeação contou com a presença do Diretor Executivo Adjunto do UNAIDS e Secretário-Geral Adjunto das Nações Unidas, Luiz Loures; do Coordenador Residente da ONU no Brasil e Representante Residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Jorge Chediek; do Diretor do Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, FábioMesquita; da Embaixadora dos Estados Unidos junto ao Brasil, Liliana Ayalde; e da Diretora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga-Orillard, além de outras autoridades e de representantes da sociedade civil.

“Hoje, no Brasil, ninguém deveria morrer de AIDS. As estruturas existem, os serviços e tratamentos são gratuitos.”, salientou Georgiana Braga-Orillard na abertura da solenidade.10648424_744231378989814_1293559993972174220_o

Segundo Fábio Mesquita, o ator protagonizou um “momento épico” da televisão brasileira que representou um passo muito importante na luta contra a discriminação no Brasil. “Estou certo de que Mateus trará uma nova energia a essa luta”, completou.

“Mateus Solano conseguiu, com a excelência de seu personagem, dar atenção à temática da discriminação que sofrem os homossexuais”, afirmou Luiz Loures. “Tenho certeza que será um excelente Embaixador.” Na novela, o personagem mantinha uma relação difícil com seu pai, que não aceitava e discriminava o filho.

“É uma honra ser Embaixador de Boa Vontade do UNAIDS”, disse Mateus Solano. “Agora, mais do que nunca, é necessário conscientizar o público, principalmente os jovens, sobre as melhores formas de prevenir o HIV e tratar a AIDS—e sobretudo de acabar com qualquer espécie de discriminação”, afirmou.

Luiz Loures agradeceu ao artista por aceitar este novo papel e lembrou que seu prestígio e popularidade aproximarão os jovens à resposta à AIDS no país. “Infelizmente, os jovens que viveram o início da epidemia há 30 anos não tinham acesso à informação, o que os tornou vulneráveis à AIDS. Hoje, embora os jovens tenham acesso à educação e informação, por algum motivo, não estão se prevenindo como deveriam. Acredito que Mateus desempenhará um importante papel no diálogo com os jovens mais vulneráveis e na disseminação de mensagens de prevenção ao HIV.”

O Coordenador Residente da ONU no Brasil, Jorge Chediek parabenizou o UNAIDS pela iniciativa e cumprimentou Mateus Solano por unir-se à luta contra a discriminação. “A discriminação é uma doença que deve ser combatida no coração das pessoas”, destacou.

A Embaixadora Liliana Ayalde saudou a nomeação de Mateus Solano e reforçou o apoio às ações conjuntas para a melhoria no acesso à saúde e proteção dos direitos de populações mais vulneráveis no país. “Estamos ansiosos para trabalhar com o Brasil, o UNAIDS, outras organizações multilaterais e parceiros internacionais para derrubar barreiras, para cuidar e ao mesmo tempo aumentar a conscientização sobre a diversidade de gênero.”, completou.

“Estou tão nervoso hoje. Nunca desempenhei um papel tão importante na minha vida”, disse o ator e novo Embaixador de Boa Vontade do UNAIDS no Brasil. No encerramento da cerimônia, Mateus Solano reiterou seu compromisso para com a meta do UNAIDS de alcançar a visão de zero nova infecção por HIV, zero discriminação e zero morte relacionada à AIDS.